quinta-feira, 1 de junho de 2017

Patmos, Apocalipse e o Brasil de 2017


Para ver o sermão completo: 
https://www.youtube.com/watch?v=a-uUoPO825M 

Para ver apenas uma apresentação de slides: https://www.youtube.com/watch?v=AUVNGpuTiOs&t=279s

quarta-feira, 11 de janeiro de 2017

NVT e Atos 2.38
Álvaro César Pestana

2016

Apresento abaixo dois estudos, feitos em dezembro de 2016, tratando da alteração que a NVT fez no texto de Atos 2.38.

A parte 1 deste estudo (i) mostrou com detalhes a mudança realizada, (ii) analisou a mudança levando em conta os critérios de tradução anunciados pela Editora Mundo Cristão e (iii) comparou esta mudança com outras traduções.

Este estudo é mais simples e tem condições de ser acompanhado por todos os cristãos. Ele ainda pode ser ampliado com mais e mais versões testemunhando contra a alteração de Atos 2.38 que a NVT fez. Um anexo avalia versões em outras línguas.

A parte 2 responde ao que supostamente é a justificativa oficial para a alteração de Atos 2.38. Os motivos seriam (i) a teologia evangélica e (ii) a gramática grega. Claro que, em termos retóricos, os tradutores dirão que o primeiro motivo é a gramática e depois a teologia, mas na verdade, percebe-se que a teologia está governando a tradução e formatando a gramática.

Este estudo, por sua natureza mais técnica, é mais extenso e nem todos terão interesse ou condições de acompanha-lo. Contudo, ele fundamenta mais ainda o que foi dito na parte 1: a alteração de Atos 2.38 não se baseia em princípios de tradução modernos e nem no desejo de oferecer uma tradução moderna, mas sim no desejo de obscurecer os textos bíblicos que são contrários à teologia dos tradutores.

Fico à disposição dos leitores para mais esclarecimentos que se façam necessários.

No momento recomendo muita cautela com a NVT. Não se trata de uma tradução séria, mas de uma tradução manipulativa em defesa de uma ideologia e uma teologia muito particular. Já pude observar distorções em muitas outras áreas, mas por conta da objetividade da questão, resolvi não ampliar este trabalho que já está em bom tamanho.

Álvaro C. Pestana
Recife, 2016.


NVT e a alteração da ordem de Atos 2.38
(parte 1)
Álvaro César Pestana

2016

Antigamente, somente as Testemunhas de Jeová tinham o costume de alterar injustificadamente a tradução de alguns textos bíblicos para promover suas doutrinas particulares. Protestantes e católicos não ousavam alterar dramaticamente os textos, mesmo quando estes incomodavam suas doutrinas confessionais.

Os católicos nunca verteram como “primos” aos textos bíblicos onde os “irmãos” de Jesus foram citados. Os protestantes nunca deixaram de traduzir literalmente as palavras de Jesus a Pedro dizendo que “sobre esta pedra edificarei a minha igreja”. Mesmo com as discussões confessionais sobre os sentidos dos textos, as traduções, tanto quanto possível, não alteravam os textos, mesmo que fossem um tanto incômodos.

Contudo a Nova Versão Transformadora, da Editora Mundo Cristão inaugura, dentro do mundo evangélico brasileiro, a prática de alterar a tradução da Bíblia para o benefício das crenças particulares de alguns.

Neste estudo, focaremos apenas em uma passagem em que esta tradução, ao nosso ver, “forçou a barra” para favorecer a teologia de alguns às expensas da verdade e da qualidade de uma boa tradução.

A dificuldade evangélica com Atos 2.38

O texto de Atos 2.38 sempre foi um problema para os certos movimentos evangélicos que associam a leitura literal do texto com o que eles chamam de “regeneração batismal”, ou seja, salvação pelo batismo ou pela água.

Em meu livro SEMPRE ME PERGUNTAM! Trato especificamente da interpretação de Atos 2.38 e da questão do batismo ser, conforme as Escrituras, “para remissão de pecados” (PESTANA, 2016, p. 317-345).

A histórica polarização evangélica contra as doutrinas dos sacramentos da igreja romana levou alguns deles ao extremo de negar ao batismo aquilo que o Novo Testamento atribui a ele. Contudo, muitos eruditos evangélicos não cometem este erro (PESTANA, 2016, p. 325, 332-337). Logo, o evangelicalismo está dividido nesta questão, não havendo unanimidade.

O texto de Atos 2.38 conecta com o batismo dois aspectos importantes do processo de salvação: (i) o perdão de pecados e (ii) a recepção do próprio Espírito Santo.

Respondeu-lhes Pedro: Arrependei-vos, e cada um de vós seja batizado em nome de Jesus Cristo para remissão dos vossos pecados, e recebereis o dom do Espírito Santo. (At 2.38 – ARA).

No passado, alguns dos exegetas evangélicos queriam entender o batismo apenas como um ato de obediência ou de testemunho dos salvos pela fé somente. Tentaram, de muitas formas, diminuir a força de Atos 2.38 dizendo que a frase “para a remissão de pecados” deveria ser traduzida “por causa da remissão de pecados” (PESTANA, 2016, p. 322ss).

Apesar de muitos eruditos de renome adotarem esta interpretação, era um fato bem reconhecido entre eles que a opção por esta “interpretação” era a salvaguarda da “doutrina evangélica” e não o resultado da leitura do texto em si. Tornou-se famosa a afirmação de A. T. Robertson que na leitura de Atos 2.38, primeiro vinha o intérprete e depois o gramático (TAYLOR, 1977, p. 250, §640.6).

Mesmo assim a grande maioria dos tradutores bíblicos não ousaram publicar um Novo Testamento com esta versão que retirava do batismo seu papel no processo de salvação por Cristo.

Numa obra antiga, em inglês, que compara 26 versões do Novo Testamento, observa-se que nenhuma daquelas versões optou pela leitura “por causa da remissão de pecados” em Atos 2.38. Todas, sem exceção, mantiveram a tradução natural e normal, com pequenas variações, mas que transmitiam a ideia de batismo “para a remissão de pecados” (VAUGHAN, 1967, p. 444). Igualmente, numa outra obra que comparava o texto integral das quatro maiores versões inglesas da Bíblia em uso, na época, nenhuma destas alterações se apresenta (VAUGHAN, 1967).

Atos 2.38 na forma alterada da NVT

Para negar que o batismo seja “para remissão de pecados”, a NVT fez uma “transposição” de uma frase, alterando, desta forma, a gramática e o sentido do texto.

Para que todos os leitores possam compreender o que a NVT fez, vamos apresentar abaixo, (i) o texto grego original, com suas frases numeradas na ordem normal, depois, (ii) uma boa tradução portuguesa bem literal e, finalmente, (iii) a NVT, com sua alteração do texto.

O texto original grego é o seguinte (Nestle-Aland 28a):

38 Πέτρος δὲ πρὸς αὐτούς·   ==========================(1)
μετανοήσατε, [φησίν,]  =============================(2)
καὶ βαπτισθήτω ἕκαστος ὑμῶν ἐπὶ τῷ ὀνόματι Ἰησοῦ Χριστοῦ  ==(3)
εἰς ἄφεσιν τῶν ἁμαρτιῶν ὑμῶν   =======================(4)
καὶ λήμψεσθε τὴν δωρεὰν τοῦ ἁγίου πνεύματος. ============(5)

Exemplificaremos a ordem das frases usando a mais literal de todas as versões portuguesas, a chamada “Tradução Brasileira” (TB), da SBB:
38 Respondeu-lhes Pedro:   ======================== (1)
Arrependei-vos,   ================================ (2)
e cada um de vós seja batizado em nome de Jesus Cristo  == (3)
para remissão de vossos pecados,    ================== (4)
e recebereis o dom do Espírito Santo. =================(5)

Foi mudada, na Nova Versão Transformadora[1], para:
38 Pedro Respondeu: ============================ (1)
“Vocês devem se arrepender, ====================== (2)
para o perdão de seus pecados,  ================= (4)
e cada um deve ser batizado em nome de Jesus Cristo.  === (3)
Então receberão a dádiva do Espírito Santo. =========== (5)

Esta transposição da frase número 4 altera totalmente o sentido do texto, sem nenhuma razão gramatical ou linguística. A razão é puramente ideológico-doutrinária em defesa da confissão de fé de alguns teólogos e grupos evangélicos.

Teologicamente, a mudança significa que a “remissão de pecados” decorre apenas do arrependimento e nada tem a ver com o batismo. Na leitura original, a “remissão de pecados” esta diretamente conectada com o batismo e também com o arrependimento (BRUCE, 1979, p. 98).



Na tabela abaixo, observe que tipo de alteração do texto grego seria necessária para suportar esta tradução:


Qualificamos esta manobra do texto, feita pelos tradutores, como alteração e adulteração, logo, a(du)alteração.

Imagine se fizermos estes tipos de alteração em outros textos da Escritura.

·      Jesus disse: “Amarás o teu próximo como a ti mesmo” (Mc 12.31). Será que daria no mesmo mudar a posição de “a ti mesmo” na frase? Ficaria: “Amarás a ti mesmo, como o teu próximo” (Versão Alterada). Jesus seria o professor do egoísmo e do narcisismo que domina os nossos dias!!!

·      Mudar uma palavra apenas na frase pode mudar tudo. Paulo disse: “Todas as coisas são lícitas, mas nem todas convêm” (1Co 9.23a). Vamos aplicar aqui a transposição que se faz na NVT: “Nem todas as coisas são lícitas, mas todas convêm” (Versão Alterada). Mudando apenas uma palavra de lugar, tudo muda!!!

·      Jesus disse: “Quem crer e for batizado será salvo” (Mc 16.16a). Talvez queiram apenas fazer a transposição: “Quem crer será salvo e será batizado” (Versão Alterada). Talvez isto agrade a quem não concorda com o que Jesus disse sobre o batismo.

Enfim, estes poucos exemplos bastam para mostrar que o procedimento da NVT não é razoável e tem todo tipo de dificuldade de se impor. Aparenta ser o que é: uma alteração que adultera o texto bíblico.

Atos 2.38 prejudicando a NVT

A Editora Mundo Cristão tem um grande renome no Brasil e para reforçar seu ethos, apresenta os nomes de grandes eruditos brasileiros em apoio de sua tradução: o saudoso Dr. Carlos Osvaldo Pinto Cardoso e o Dr. Estevan F. Kirschner (NVT, 2016, p. vii). Embora estes eruditos e os outros que trabalharam na versão, tenham boas credenciais acadêmicas, parece que, na tradução de Atos 2.38, falou mais alto a “confissão de fé” e a ideologia denominacional.

A alteração do texto de Atos 2.38 vai contra os princípios anunciados pelos próprios tradutores.

(i) Em primeiro lugar, eles afirmaram seguir, como ponto de partida, a New Living Translation, NLT, da Tyndale House Publishers (NVT, 2016, p. ix).

Ora a NLT não faz nenhuma transposição das frases em Atos 2.38, como a NVT fez.

Observe o texto inglês de Atos 2.38 da NLT:

38 Peter replied, “Each of you must repent of your sins and turn to God, and be baptized in the name of Jesus Christ for the forgiveness of your sins. Then you will receive the gift of the Holy Spirit.[2]

Literalmente temos a tradução, na ordem exata das palavras:

38 Pedro respondeu, “Cada um de vocês precisa se arrepender de seus pecados e voltar para Deus, e ser batizados no nome de Jesus Cristo para o perdão de seus pecados. Então vocês irão receber o dom do Espírito Santo.

Logo, vemos que a NVT se afastou da NLT, uma versão que eles mesmos recomendaram por sua “comunicabilidade e acessibilidade” (NVT, 2016, p. ix).

(ii) Em segundo lugar, eles afirmaram seguir, para o Novo Testamento, as “duas edições clássicas do Novo Testamento em grego” (NVT, 2016, p. x) que são o Greek New Testament (4a Edição, revisada em 1993) e o Novum Testamentum Graece (27a Edição, 1993).

Ora, o aparato de segmentação do Greek New Testament (4a Edição, revisada em 1993) não atesta nenhuma questão de diferença de segmentação do texto em Atos 2.38 para a frase εἰς ἄφεσιν τῶν ἁμαρτιῶν ὑμῶν, “para a remissão dos pecados”.

A única questão de segmentação anotada em Atos 2.38 vem da frase final. A expressão τοῦ ἁγίου πνεύματος, “do Espírito Santo”, é assumida em algumas versões como aposto explicativo de τὴν δωρεὰν, “o dom”. A tradução torna-se algo como: “recebereis o dom, a saber, o Espírito Santo”. (OMANSON, 2010, p. 223).

Assim, a NVT também se afasta das recomendações eruditas e oriundas das maiores e melhores traduções bíblicas disponíveis na atualidade, cujos dados estão sumarizados no aparato de segmentação do Greek New Testament (4a Edição, revisada em 1993).

Além disto, nenhum dos dois textos gregos atesta nenhuma alteração na ordem das frases do texto grego. Não há nenhum manuscrito fazendo a transposição que a NVT fez.

Há várias questões crítico textuais interessantes em Atos 2.38 anotadas nos aparatos dos textos críticos, mas nenhuma destas questões diz respeito ao transpor a frase εἰς ἄφεσιν τῶν ἁμαρτιῶν ὑμῶν, “para a remissão dos pecados”.

Logo, a NVT se afasta dos textos gregos e da erudição mundial que produz os mais renomados textos do Novo Testamento para tradutores e para exegetas.

(iii) Em terceiro lugar, a NVT promete avisar ao leitor, por meio de notas textuais de rodapé, toda vez que necessitar apresentar “traduções alternativas” ou quando seguirem uma “variação textual que difere consideravelmente” dos originais (NVT, 2016, p. xi).

A mudança de ordem e de conexão gramatical-teológica de toda uma frase grega, ou seja, desligar a frase “para a remissão de pecados” do verbo “ser batizado”, para ligar ao verbo “arrependei-vos”, é uma enorme “tradução alternativa”: a tradução normal, que vemos em todas as outras traduções da Bíblia deveria estar, pelo menos, na nota de rodapé.

De fato, a transposição da frase “para remissão de pecados”, no grego, εἰς ἄφεσιν τῶν ἁμαρτιῶν ὑμῶν, embora não tenha nenhuma base nos manuscritos gregos, deveria ser avisada ao leitor como um tipo de “emenda” ou “rearranjo crítico” do texto.

Assim, mais uma vez, faltou coerência da NVT. Assume e anuncia princípios que não segue – pelo menos em Atos 2.38 não o faz.

(iv) Finalmente, a NVT não cumpriu a promessa de “uma tradução inteligível e dinâmica, sem sacrificar a precisão e a fidelidade aos textos originais” (NVT, 2016, p. ix).

Avaliando a transposição de uma frase em Atos 2.38 sem qualquer razão textual ou gramatical, mas, sim, provavelmente, por razões teológico-confessionais, vemos uma tradução que sacrifica “precisão e a fidelidade” em defesa do dogma de alguns.


Enfim, a NVT ficará profundamente prejudicada por esta opção injustificada em Atos 2.38.

Embora o seja grande o segmento do evangelicalismo que considera o batismo como um “não-essencial” no processo salvífico, a NVT ficará negativamente avaliada pelos outros segmentos da cristandade que não pensam desta forma. Já que a opção foi tomada por conta de teologia confessional e não do próprio texto: a NVT torna-se uma versão apenas para um segmento teológico específico dos cristãos.

Atos 2.38 nas versões bíblicas em português

O texto original grego de Atos 2.38 é o seguinte:

38Πέτρος δὲ πρὸς αὐτούς·
μετανοήσατε, [φησίν,]
καὶ βαπτισθήτω ἕκαστος ὑμῶν ἐπὶ τῷ ὀνόματι Ἰησοῦ Χριστοῦ
εἰς ἄφεσιν τῶν ἁμαρτιῶν ὑμῶν
καὶ λήμψεσθε τὴν δωρεὰν τοῦ ἁγίου πνεύματος.

O texto original grego com tradução interlinear literal, palavra por palavra fica assim:

38Πέτρος δὲ πρὸς αὐτούς·
    Pedro        a      eles  

μετανοήσατε, [φησίν,]
Arrependei-vos [dizia]

καὶ βαπτισθήτω ἕκαστος ὑμῶν ἐπὶ τῷ ὀνόματι Ἰησοῦ Χριστοῦ
e sejam batizados cada um de vós      no    nome de Jesus Cristo

εἰς ἄφεσιν τῶν ἁμαρτιῶν ὑμῶν
para perdão dos pecados vossos

καὶ λήμψεσθε τὴν δωρεὰν τοῦ ἁγίου πνεύματος.
 e   recebereis    o    dom       do  Santo Espírito.

Todas traduções em português, sem nenhuma exceção, mantêm o versículo na ordem original. Ninguém viu necessidade e nem teve a ousadia de mudar a ordem das frases, alterando a ordem do texto.

Citamos versões Evangélicas, Católicas, Ecumênicas e até traduções Espíritas e das Testemunhas de Jeová: ninguém alterou a ordem do texto.

Consultamos também paráfrases bíblicas, que têm o costume de tomar grandes liberdades com a ordem do texto: nenhuma delas ousou mudar a ordem para favorecer um sentido do texto que favorecesse sua doutrina.

A tabulação abaixo numera cada uma das versões usadas neste estudo comparativo:

01 – ARA = Almeida, Revista e Atualizada[3]
38 Respondeu-lhes Pedro:
Arrependei-vos,
e cada um de vós seja batizado em nome de Jesus Cristo
para remissão dos vossos pecados,
e recebereis o dom do Espírito Santo.

02 – ARC = Almeida, Revista e Corrigida[4]
38 E disse-lhes Pedro:
Arrependei-vos,
e cada um de vós seja batizado em nome de Jesus Cristo
para perdão dos pecados,
e recebereis o dom do Espírito Santo.

03 – AEC = Almeida, Edição Contemporânea[5]
38 Disse-lhes Pedro:
Arrependei-vos,
e cada um de vós seja batizado em nome de Jesus Cristo
para perdão dos pecados.
E recebereis o dom do Espírito Santo.

04 – AVR = Almeida, Versão Revisada[6]
38 Pedro então lhes respondeu:
Arrependei-vos,
e cada um de vós seja batizado em nome de Jesus Cristo
para remissão de vossos pecados;
e recebereis o dom do Espírito Santo.

05 – TB = Tradução Brasileira[7]
38 Respondeu-lhes Pedro:
Arrependei-vos,
e cada um de vós seja batizado em nome de Jesus Cristo
para remissão de vossos pecados,
e recebereis o dom do Espírito Santo.

06 - BLH (1988) = Bíblia na Linguagem de Hoje[8]
38 Pedro respondeu:
— Arrependam-se,
e cada um de vocês seja batizado em nome de Jesus Cristo
para que sejam perdoados;
e vocês receberão do Pai o Espírito Santo.

07 – NTLH = Nova Tradução na Linguagem de Hoje[9]
38 Pedro respondeu:
— Arrependam-se,
e cada um de vocês seja batizado em nome de Jesus Cristo
para que os seus pecados sejam perdoados,
e vocês receberão de Deus o Espírito Santo.

08 – NVI = Nova Versão Internacional[10]
38 Pedro respondeu:
“Arrependam-se,
e cada um de vocês seja batizado em nome de Jesus Cristo
para perdão dos seus pecados,
e receberão de Deus o Espírito Santo.

09 – KJA = King James Atualizada[11]
38 Orientou-lhes Pedro:
“Arrependei-vos
e cada um de vós seja batizado em o nome de Jesus Cristo
para o perdão de vossos pecados;
e recebereis o dom do Espírito Santo.

10 - A21 = Almeida, Século Vinte e Um[12]
38 Pedro então lhes respondeu:
Arrependei-vos,
e cada um de vós seja batizado em nome de Jesus Cristo,
para o perdão de vossos pecados;
e recebereis o dom do Espírito Santo.

11 – CNBB = Tradução da CNBB[13]
38 Pedro respondeu:
“Convertei-vos,
e cada um de vós seja batizado em nome de Jesus Cristo,
para o perdão dos vossos pecados.
E recebereis o dom do Espírito Santo.

12 – BAM = Bíblia Ave Maria[14]
38 Pedro lhes respondeu:
Arrependei-vos
e cada um de vós seja batizado em nome de Jesus Cristo
para remissão dos vossos pecados,
e recebereis o dom do Espírito Santo.

13 – EP = Edição Pastoral[15]
38 Pedro respondeu:
«Arrependam-se,
e cada um de vocês seja batizado em nome de Jesus Cristo,
para o perdão dos pecados;
depois vocês receberão do Pai o dom do Espírito Santo.

14 – NBP = Nova Bíblia Pastoral[16]
38 Pedro respondeu:
«Arrependam-se!
E cada um de vocês seja batizado em nome de Jesus Cristo,
para o perdão de seus próprios pecados.
E vocês receberão o dom do Espírito Santo.

15 – TEB = Tradução Ecumênica[17]
38 Pedro lhes respondeu:
Convertei-vos:
cada um de vós receba o batismo no nome de Jesus
para o perdão de pecados,
e recebereis o dom do Espírito Santo.

16 – BJ = Bíblia de Jerusalém[18]
38 Respondeu-lhes Pedro:
“Arrependei-vos,
e cada um de vós seja batizado em nome de Jesus Cristo
para remissão dos vossos pecados.
Então recebereis o dom do Espírito Santo.

17 – BP = Bíblia Paulinas[19]
38 E Pedro lhes disse:
“Convertei-vos,
e sede batizados no nome de Jesus Cristo, cada um de vós,
para remissão dos vossos pecados;
e recebereis o dom do Espírito Santo.

18 - BPer. = Bíblia do Peregrino[20]
38 Pedro lhes respondeu:
-- Arrependei-vos,
e batizai-vos, cada qual invocando o nome de Jesus Cristo
para que sejam perdoados os vossos pecados.
E recebereis o dom do Espírito Santo.

19 – VFL = Versão Fácil de Ler[21]
38 Pedro lhes disse:
 – Arrependam-se
e cada um de vocês seja batizado em nome de Jesus Cristo
para o perdão dos pecados de vocês.
Então receberão o dom do Espírito Santo.

20 – BV = Bíblia Viva[22]
38 Pedro respondeu:
“Cada um de vocês deve abandonar o pecado, voltar-se para Deus
e ser batizado no nome de Jesus Cristo
para o perdão dos seus pecados:
então vocês também receberão o Espírito Santo, que será dado a vocês.

21 – NBV = Nova Bíblia Viva[23]
38 Pedro respondeu:
“Cada um de vocês deve abandonar o pecado, voltar-se para Deus
e ser batizado no nome de Jesus Cristo
para o perdão dos seus pecados.
Então vocês receberão o dom do Espírito Santo.

22 – NTJ = Novo Testamento Judaico[24]
38 Kefa respondeu-lhes:
“Abandonem o pecado, voltem para Deus,
e cada um de vocês seja imerso pela autoridade de Yeshua, o Messias,
para o perdão de seus pecados
e vocês receberão o dom do Ruach HaKodesh!

23 - Mensagem[25]
38 Pedro respondeu:
“Mudem de vida. Voltem-se para Deus,
e sejam batizados, cada um de vocês, no nome de Jesus Cristo,
para que seus pecados sejam perdoados.
Recebam o dom do Espírito Santo.

24 – DutraDias = Evangelhos e Atos da FEB[26]
38 E {disse}-lhes Pedro:
Arrependei-vos,
e cada um de vós seja mergulhado em nome de Jesus Cristo
para perdão dos vossos pecados,
e recebereis o dom do Espírito Santo.

25 – BI (2009) = Bíblia Interconfessional[27]
38 Pedro respondeu:
“Arrependam-se
e cada um seja baptizado em nome de Jesus Cristo,
para que Deus vos perdoe os pecados.
E receberão o dom do Espírito Santo.

26 – BI (1993) = Bíblia Interconfessional[28]
38 Pedro respondeu:
“Arrependam-se do mal
e cada um seja baptizado em nome de Jesus Cristo,
para que Deus vos perdoe os pecados
e receberão o Espírito Santo.

27 – TNM (1967) = Tradução Novo Mundo das Escrituras[29]
38 Pedro [disse] a eles:
“Arrependei-vos
e cada um de vós seja batizado no nome de Jesus Cristo,
para o perdão de vossos pecados,
e recebereis a dádiva gratuita do espírito santo.

28 – TNM (1983) = Tradução Novo Mundo das Escrituras[30]
38 Pedro [disse] a eles:
“Arrependei-vos
e cada um de vós seja batizado no nome de Jesus Cristo,
para o perdão de vossos pecados,
e recebereis a dádiva gratuita do espírito santo.

29 – BMS = Versão de Matos Soares[31]
38 Pedro então disse-lhes:
Fazei penitência,
e cada um de vós seja batizado em nome de Jesus Cristo
para remissão de vossos pecados;
e recebereis o dom do Espírito Santo.

30 – APF = Versão de Antônio Pereira de Figueiredo[32]
38 Pedro então lhes respondeu:
Fazei penitência,
e cada um de vós seja batizado em nome de Jesus Cristo
para remissão de vossos pecados:
e recebereis o dom do Espírito Santo.

31 – NTT = Novo Testamento de Taizé[33]
38 Pedro respondeu-lhes:
“Convertei-vos
e peça cada um o batismo em nome de Jesus Cristo,
para obter remissão de seus pecados;
e recebereis o dom do Espírito Santo.

32 – WCL = Novo Testamento Interlinear de W. C. Luz[34]
38 Pedro, porém, para com eles (E Pedro a eles):
Arrependei-vos diz [ele],
e seja batizado cada um de vós sobre (em) o nome de Jesus Cristo,
para perdão (remissão) dos pecados de vós (dos vossos pecados),
e recebereis a dádiva (o dom) do Santo Espírito (do Espírito Santo).

33- ACF = Almeida Corrigida e Revisada Fiel[35]
E disse-lhes Pedro:
Arrependei-vos,
e cada um de vós seja batizado em nome de Jesus Cristo,
para perdão dos pecados;
e recebereis o dom do Espírito Santo;

34 – L = O Livro[36]
E Pedro respondeu:
Cada um deve arrepender-se do seu pecado, converter-se a Deus
e ser baptizado em nome de Jesus Cristo,
para perdão dos pecados.
E então receberão também este dom do Espírito Santo,

35 – SBBrit = Sociedade Bíblica Britânica[37]
Respondeu-lhes Pedro:
Arrependei-vos,
e cada um de vós seja batizado em nome de Jesus Cristo
para remissão de vossos pecados,
e recebereis o dom do Espírito Santo.

Todas estas 35 versões, de diversas confissões e perspectivas, mantêm a ordem de Atos 2.38, não importando a perspectiva teológica dos tradutores e do público alvo. A NVT está sozinha e isolada na versão alterada de Atos 2.38 que apresenta.


Esta pesquisa quando ampliada para outras versões em outras línguas, a desarmonia e dissonância da NVT fica mais evidente ainda (veja o anexo).



Uma nova tradução criando velhos problemas

Juan Carlos Ortiz, já em 1975, data da primeira publicação de seu livro “O Discípulo”, assinalava o que ele chamou de “As Santas Tradições da Igreja Protestante”. Entre muitos exemplos citou o caso do batismo:

“Observei que a Bíblia diz: ‘Quem crer e for batizado será salvo’ (Mc 16.16). Nossa tradição, porém, ensina que quem crer e for salvo, após alguns meses de teste, será batizado” (ORTIZ, 1978, p.132).

F. F. Bruce comentando sobre Romanos 6 e sobre o valor salvífico que Paulo atribui ao batismo, diz o seguinte:

"Ouçam", diz ele; "vocês não se lembram do que aconteceu quando foram batizados?" Desta e doutras referências ao batismo nos escritos de Paulo, é certo que ele não considerava o batismo como um "extra optativo" na vida cristã, e que não teria pensado no fenômeno de um "crente não batizado". Podemos concordar ou não com Paulo, mas devemos ser justos para com ele, deixando-o defender e ensinar suas próprias crenças, e não torcê-las para fazê-las amoldar-se àquilo que nós preferimos que ele tivesse dito. (Isto se aplica a muitos outros assuntos, além da doutrina batismal de Paulo.) [...]Na verdade, a fé em Cristo e o batismo eram experiências não muito distintas entre si, como partes de um todo uno. No batismo, a fé em Cristo era elemento essencial pois, sem ela, a aplicação de água, mesmo acompanhada pelas palavras adequadas, não seria batismo. (BRUCE, 1979, p. 67)

O erudito evangélico brasileiro Dr. Ênio R. Müller, falando sobre a famosa questão do batismo como parte do processo de salvação em 1Pedro 3.20-21, usa de uma ponderação muito positiva e sábia. Ressalto especialmente os grifos, que são meus, no texto do prof. Müller:

A menção do “batismo que vos salva” logo faz acender uma antiga disputa dentro da igreja cristã, acerca dos sacramentos e de sua eficácia. Tomada isoladamente, esta expressão pode levar a extremos na sua compreensão, que vão bem mais longe do que o autor diz aqui (tanto que ele mesmo se apressa em explicar um pouco o que está dizendo). Temos que cuidar aqui com dois extremos: primeiro, o texto diz que o batismo salva, e isso deve ser levado a sério. Todo menosprezo e depreciação do batismo é julgado aqui; ele é um fator no processo da salvação. Segundo, uma concepção do batismo como fator autossuficiente no processo de salvação fica excluída, tanto pelo que vem logo a seguir, como por outras passagens da carta (cf. as que falam da fé e da obediência à verdade como “causas primeiras” do lado humano do processo; 1.5, 9,21,22; 2.7; bem como a incredulidade e a desobediência como o impedindo, 2.7, 8; 3.20; 4.17,18). Muitos interpretam o “novo nascimento”, de que fala 1.3,23, como simultâneo ao batismo, o que, visto por um lado, pode ser certo; por outro, ele também está ligado à fé, à ocasião em que eles creram na mensagem do evangelho, “sendo convertidos ao Pastor”, Cristo (2.25). (MÜLLER, 1988, p. 220-221)

Alterar a ordem das frases de Atos 2.38 para salvaguardar a doutrina de alguns segmentos evangélicos é uma medida radical demais para uma versão erudita e fiel. Felizmente, a NVT não alterou 1Pedro 3.21 permitindo a Pedro afirmar o valor do batismo no processo de salvação:

“e aquela água simboliza o batismo que agora os salva, não pela remoção da sujeira do corpo, mas porque no batismo vocês declaram ter boa consciência diante de Deuse. Ela é eficaz por meio da ressurreição de Jesus Cristo”. (1Pe 3.21 - NVT)

Ora, seria bom permitir que Pedro também falasse livremente em Atos 2.38, sem alterar a ordem e o sentido de suas palavras.

A NVT foi lançada em 2016 e vai lutar para encontrar espaço entre as principais versões bíblicas usadas no Brasil. Acredito que a correção de leituras como estas seria salutar para a versão, sem invalidar a fé dos tradutores e ao mesmo tempo, sem forçar esta fé sobre o texto e a fé dos que creem em Cristo de modo diverso.



ANEXO:
Versões em Inglês, Francês, Alemão, Espanhol, Latim e Indonésio que discordam da NVT em português[38]

Em todas as 40 versões abaixo listadas, não se encontra a disjunção que a NVT fez em Atos 2.38. As versões são desde as mais antigas e tradicionais, como a de Lutero ou da King James, até as mais recentes e modernas. Nenhuma fez a alteração do texto que a NVT fez.

Inglês: 25 versões
King James Bible
Then Peter said unto them, Repent, and be baptized every one of you in the name of Jesus Christ for the remission of sins, and ye shall receive the gift of the Holy Ghost.
American King James Version
Then Peter said to them, Repent, and be baptized every one of you in the name of Jesus Christ for the remission of sins, and you shall receive the gift of the Holy Ghost.
American Standard Version
And Peter'said unto them, Repent ye, and be baptized every one of you in the name of Jesus Christ unto the remission of your sins; and ye shall receive the gift of the Holy Spirit.
New American Standard Bible
Peter said to them, "Repent, and each of you be baptized in the name of Jesus Christ for the forgiveness of your sins; and you will receive the gift of the Holy Spirit.
New American Standard 1977
And Peter said to them, “Repent, and let each of you be baptized in the name of Jesus Christ for the forgiveness of your sins; and you shall receive the gift of the Holy Spirit.
English Standard Version
And Peter said to them, “Repent and be baptized every one of you in the name of Jesus Christ for the forgiveness of your sins, and you will receive the gift of the Holy Spirit.
English Revised Version
And Peter said unto them, Repent ye, and be baptized every one of you in the name of Jesus Christ unto the remission of your sins; and ye shall receive the gift of the Holy Ghost.
King James 2000 Bible
Then Peter said unto them, Repent, and be baptized every one of you in the name of Jesus Christ for the remission of sins, and you shall receive the gift of the Holy Spirit.
New International Version
Peter replied, "Repent and be baptized, every one of you, in the name of Jesus Christ for the forgiveness of your sins. And you will receive the gift of the Holy Spirit.
Darby Bible Translation
And Peter said to them, Repent, and be baptised, each one of you, in the name of Jesus Christ, for remission of sins, and ye will receive the gift of the Holy Spirit.
World English Bible
Peter said to them, "Repent, and be baptized, every one of you, in the name of Jesus Christ for the forgiveness of sins, and you will receive the gift of the Holy Spirit.
Webster's Bible Translation
Then Peter said to them, Repent, and be baptized every one of you in the name of Jesus Christ, for the remission of sins, and ye shall receive the gift of the Holy Spirit.
Weymouth New Testament
"Repent," replied Peter, "and be baptized, every one of you, in the name of Jesus Christ, with a view to the remission of your sins, and you shall receive the gift of the Holy Spirit.
Young's Literal Translation
and Peter said unto them, 'Reform, and be baptized each of you on the name of Jesus Christ, to remission of sins, and ye shall receive the gift of the Holy Spirit,
New Living Translation
Peter replied, "Each of you must repent of your sins and turn to God, and be baptized in the name of Jesus Christ for the forgiveness of your sins. Then you will receive the gift of the Holy Spirit.
Holman Christian Standard Bible
Repent," Peter said to them, "and be baptized, each of you, in the name of Jesus Christ for the forgiveness of your sins, and you will receive the gift of the Holy Spirit.
International Standard Version
Peter answered them, "Every one of you must repent and be baptized in the name of Jesus the Messiah for the forgiveness of your sins. Then you will receive the Holy Spirit as a gift.
NET Bible
Peter said to them, "Repent, and each one of you be baptized in the name of Jesus Christ for the forgiveness of your sins, and you will receive the gift of the Holy Spirit.
Aramaic Bible in Plain English
And Shimeon said to them, “Return to God and be immersed everyone of you, in the name of THE LORD JEHOVAH Yeshua, for release from sin, so that you may receive the gift of The Spirit of Holiness.”
GOD'S WORD® Translation
Peter answered them, "All of you must turn to God and change the way you think and act, and each of you must be baptized in the name of Jesus Christ so that your sins will be forgiven. Then you will receive the Holy Spirit as a gift.
Jubilee Bible 2000
Then Peter said unto them, Repent and be baptized each one of you into the name of Jesus Christ for the remission of sins, and ye shall receive the gift of the Holy Spirit.
Berean Study Bible
Peter replied, "Repent and be baptized, every one of you, in the name of Jesus Christ for the forgiveness of your sins, and you will receive the gift of the Holy Spirit.
Berean Literal Bible
And Peter says to them, "Repent and be baptized, every one of you, in the name of Jesus Christ for the forgiveness of your sins, and you will receive the gift of the Holy Spirit.
New Heart English Bible
Peter said to them, "Repent, and be baptized, every one of you, in the name of Jesus Christ for the forgiveness of your sins, and you will receive the gift of the Holy Spirit.
Douay-Rheims Bible
But Peter said to them: Do penance, and be baptized every one of you in the name of Jesus Christ, for the remission of your sins: and you shall receive the gift of the Holy Ghost.

Francês: 3 versões
Darby
Et Pierre leur dit: Repentez-vous, et que chacun de vous soit baptise au nom de Jesus Christ, en remission des peches; et vous recevrez le don du Saint Esprit:
Louis Segond (1910)
Pierre leur dit: Repentez-vous, et que chacun de vous soit baptisé au nom de Jésus-Christ, pour le pardon de vos péchés; et vous recevrez le don du Saint-Esprit.
Martin (1744)
Et Pierre leur dit : amendez-vous, et que chacun de vous soit baptisé au Nom de Jésus-Christ, pour obtenir le pardon de vos péchés, et vous recevrez le don du Saint-Esprit.

Alemão: 3 versões
Luther (1912)
Petrus sprach zu ihnen: Tut Buße und lasse sich ein jeglicher taufen auf den Namen Jesu Christi zur Vergebung der Sünden, so werdet ihr empfangen die Gabe des Heiligen Geistes.
Textbibel (1899)
Petrus aber zu ihnen: thut Buße, und lasse sich ein jeder von euch taufen in dem Namen Jesus Christus zur Vergebung eurer Sünden, so werdet ihr die Gabe des heiligen Geistes empfangen.
Modernized
Petrus sprach zu ihnen: Tut Buße, und lasse sich ein jeglicher taufen auf den Namen Jesu Christi zur Vergebung der Sünden, so werdet ihr empfangen die Gabe des Heiligen Geistes.

Italiano: 2 versões
Riveduta Bible (1927)
E Pietro a loro: Ravvedetevi, e ciascun di voi sia battezzato nel nome di Gesù Cristo, per la remission de’ vostri peccati, e voi riceverete il dono dello Spirito Santo.
Giovanni Diodati Bible (1649)
E Pietro disse loro: Ravvedetevi, e ciascun di voi sia battezzato nel nome di Gesù Cristo, in remission de’ peccati; e voi riceverete il dono dello Spirito Santo.

Indonésio: 1 versão[39]
Indonesian - Terjemahan Lama (TL)
Maka kata Petrus kepada mereka itu, "Hendaklah kamu bertobat dan berbaptis masing-masing kamu dengan nama Yesus Kristus akan jalan keampunan dosamu, lalu kamu akan beroleh anugerah Rohulkudus.

Latim: 1 versão
Biblia Sacra Vulgata
Petrus vero ad illos paenitentiam inquit agite et baptizetur unusquisque vestrum in nomine Iesu Christi in remissionem peccatorum vestrorum et accipietis donum Sancti Spiritus

Espanhol: 5 versões
Reina Valera 1909
Y Pedro les dice: Arrepentíos, y bautícese cada uno de vosotros en el nombre de Jesucristo para perdón de los pecados; y recibiréis el don del Espíritu Santo.
Sagradas Escrituras 1569
Y Pedro les dice: Arrepentíos, y bautícese cada uno de vosotros en el nombre de Jesús, el Cristo, para perdón de los pecados; y recibiréis el don del Espíritu Santo.
La Biblia de las Américas
Y Pedro les dijo: Arrepentíos y sed bautizados cada uno de vosotros en el nombre de Jesucristo para perdón de vuestros pecados, y recibiréis el don del Espíritu Santo.
La Nueva Biblia de los Hispanos
Entonces Pedro les dijo: " Arrepiéntanse y sean bautizados cada uno de ustedes en el nombre de Jesucristo para perdón de sus pecados, y recibirán el don del Espíritu Santo.
Reina Valera Gómez
Entonces Pedro les dijo: Arrepentíos, y bautícese cada uno de vosotros en el nombre de Jesucristo para perdón de los pecados; y recibiréis el don del Espíritu Santo.

TOTAL: 25 + 3+ 3 + 2 + 1 + 1 + 5 = 40 versões estrangeiras discordam da NVT. Se somarmos as 35 em português, temos 75 versões contra a NVT.
75 x 1

A NVT está sozinha e por mais erudita e inovadora que pretenda ser, deveria dar ouvidos a outros tradutores respeitáveis, piedosos e pertencentes a todos os grupos da cristandade.


NVT e a alteração da ordem de Atos 2.38
(parte 2)
Álvaro César Pestana

2016

A Nova Versão Transformadora, da Editora Mundo Cristão inaugura, dentro do mundo evangélico brasileiro, a prática de alterar a tradução da Bíblia para o benefício das crenças particulares de alguns.

O texto de Atos 2.38 conecta com o batismo dois aspectos importantes do processo de salvação: (i) o perdão de pecados e (ii) a recepção do próprio Espírito Santo.

Respondeu-lhes Pedro: Arrependei-vos, e cada um de vós seja batizado em nome de Jesus Cristo para remissão dos vossos pecados, e recebereis o dom do Espírito Santo. (At 2.38 – ARA).

A NVT fez a “transposição da frase “para remissão de pecados”, conectando-a apenas com o imperativo “arrependei-vos”. Desta forma a alteração de ordem das frases, logicamente, alterou a forma, a gramática e o sentido do texto.

Pedro respondeu: “Vocês devem se arrepender, para o perdão de seus pecados, e cada um deve ser batizado em nome de Jesus Cristo. Então receberão a dádiva do Espírito Santo. (At 2.38 – NVT).

O resultado é que, a “remissão de pecados”, que na leitura normal de Atos 2.38 resulta tanto do arrependimento como do batismo, nesta alteração do texto, acaba por qualificar apenas o arrependimento. Em outras palavras, o batismo não é mais “para remissão de pecados”.
Qualificamos esta manobra do texto, feita pelos tradutores, como alteração e adulteração, logo, a(du)lteração.

Nas tabelas abaixo, ilustramos graficamente esta mudança comparando a Tradução Brasileira, da SBB, que é muito literal, com a NVT, da Editora Mundo Cristão que alterna seus princípios de tradução entre equivalência formal e equivalência dinâmica (NVT, 2016, p. xi).


Na tabela abaixo, observe que tipo de alteração do texto grego seria necessária para suportar esta tradução:


O texto original grego é o seguinte (Nestle-Aland 28a):

38 Πέτρος δὲ πρὸς αὐτούς·
μετανοήσατε, [φησίν,]
καὶ βαπτισθήτω ἕκαστος ὑμῶν ἐπὶ τῷ ὀνόματι Ἰησοῦ Χριστοῦ
εἰς ἄφεσιν τῶν ἁμαρτιῶν ὑμῶν
καὶ λήμψεσθε τὴν δωρεὰν τοῦ ἁγίου πνεύματος.

O que fica claro é que a NVT faz uma ação radical com o texto que necessita de uma justificativa muito clara, pois altera o sentido do texto, conforme a tradução que se encontra em vasta maioria das traduções de renome e de aceitação unânime. As razões precisam ser dadas para que a alteração não se caracterize como arbitrariedade baseada na vontade e não no texto grego.

Se razões extremamente convincentes e óbvias não forem apresentadas, poderia ficar caracterizado que a alteração visa, somente, proteger uma doutrina denominacional da “fé somente”, que se incomoda com textos como Atos 2.38.

Os tradutores justificam sua postura em dois aspectos:

(i) sintaxe e (ii) teologia.


Estudaremos os dois argumentos dos tradutores da NVT utilizados para justificar esta transposição que não foi feita por nenhuma das grandes traduções bíblicas conhecidas e bem divulgadas. Quando uma grande editora como a Mundo Cristão lança uma edição da Bíblia para obter um grande impacto, necessitaria dar grande fundamentação para alterações como estas, pois caso contrário, toda a versão poderia ser mal avaliada e cair em descrédito e desuso em pouco tempo.


O argumento da sintaxe

O primeiro argumento dos tradutores da NVT para a radical transposição da frase “para remissão dos vossos pecados”, εἰς ἄφεσιν τῶν ἁμαρτιῶν ὑμῶν, de uma posição na frase para outra, alterando a sintaxe e o sentido da frase baseia-se na crença de que Atos 2.38 está construído na forma de um quiasmo.

O quiasmo é uma estrutura de discurso que consiste na inversão das frases como por exemplo no dito de Jesus de Mateus 7.6:

“Não deis aos cães o que é santo,  -------------------------A
nem lanceis ante os porcos as vossas pérolas,  ------------B
para que não as pisem com os pés,   ------------------------B’
e, voltando-se, vos dilacerem.” ----------------------------A’

Veja que a frase inicial, “Não deis aos cães o que é santo” combina com a ação ingrata dos mesmos, que é a quarta frase do texto “voltando-se, vos dilacerem”. E as frases do centro, se correspondem, pois se lançar perolas aos porcos eles simplesmente pisam nelas. Logo temos uma estrutura em X, quiasmo, que corresponde a letra grega, “qui” χ.


Ora, os tradutores da NVT acreditam que há uma estrutura parecida, nas palavras de Pedro, em Atos 2.38:

38 Πέτρος δὲ πρὸς αὐτούς·
μετανοήσατε, [φησίν,] ======================A
καὶ βαπτισθήτω  ===========================B
ἕκαστος ὑμῶν ἐπὶ τῷ ὀνόματι Ἰησοῦ Χριστοῦ ========B’
εἰς ἄφεσιν τῶν ἁμαρτιῶν ὑμῶν ================A’
καὶ λήμψεσθε τὴν δωρεὰν τοῦ ἁγίου πνεύματος.

Eles acreditam que a mudança de pessoa gramatical do verbo “arrependei-vos” (μετανοήσατε), que está na segunda pessoa do plural, para o verbo “seja (você/ele) batizado” (βαπτισθήτω), na terceira pessoa do singular, recomendaria entender que a frase “arrependei-vos” está ligada a “para o perdão de vossos pecados”, pois ambas estão na segundo pessoa do plural. Então sobra o “seja batizado” ficar ligado, como já está com “cada um” que também é singular.

Assim, eles estariam afirmando que o que Pedro estaria, realmente, dizendo é o seguinte, depois de rearranjar o texto grego:

38 Πέτρος δὲ πρὸς αὐτούς·
μετανοήσατε, [φησίν,] ==========================A
εἰς ἄφεσιν τῶν ἁμαρτιῶν ὑμῶν =====================A’
καὶ βαπτισθήτω ===============================B
ἕκαστος ὑμῶν ἐπὶ τῷ ὀνόματι Ἰησοῦ Χριστοῦ ===========B’
καὶ λήμψεσθε τὴν δωρεὰν τοῦ ἁγίου πνεύματος.

Assim, eles apresentam sua tradução, estranhamente sem nenhuma nota explicativa e sem nenhuma oportunidade de anotar, mesmo no rodapé, a tradução normal como alternativa, uma vez que ela é majoritariamente apresentada em todas as maiores e melhores traduções do mundo.

Mais uma vez, lembramos que tal rearranjo não ocorre em nenhum manuscrito grego, em nenhuma versão antiga e não há evidência de antiguidade deste ponto de vista.

Refutação do argumento da sintaxe

Antes de mais nada, é criticável encontrar um quiasmo por necessidade doutrinária. Embora os tradutores queiram justificar o quiasmo como sendo uma necessidade da gramática, como se verá, o que fica aparente é a vontade dos tradutores de desvincular o “batismo” da “remissão de pecados”: esta parece ser a fundamental motivação subconsciente da “descoberta” do quiasmo em Atos 2.38.

Os editores da obra clássica de Niels W. Lund sobre o quiasmo no Novo Testamento: “Chiasmus in the New Testament”, já advertiam para que chamaram de “frequentes abusos do quiasmo” (LUND, 1992, p. xxi).[40] Parece que o encontrar um quiasmo em Atos 2.38 foi predito por eles quando disseram:

“A verdade é que se uma pessoa deseja encontrar um quiasmo, ele ou ela provavelmente irá encontrar. Mesmo aquelas pessoas que discutem critérios para a identificação de quiamos, frequentemente, fazem identificações injustificadas de quiasmos.” (LUND, 1992, p. xxi; os grifos são meus, ACP)

Vamos apresentar abaixo, vários questionamentos tanto sobre a questões gramaticais como também sobre o quiasmo:

Em primeiro lugar, mesmo que fosse feita a disjunção entre a frase “e seja batizado cada um de vós” (καὶ βαπτισθήτω ἕκαστος ὑμῶν) da frase “para a remissão de vossos pecados” (εἰς ἄφεσιν τῶν ἁμαρτιῶν ὑμῶν), ainda assim a conjunção aditiva “e” (καὶ) pode ter força epexegética (explicativa) (BAUER; ARNDT; GINCHICH; DANKER, 1979, p. 393). Assim, o sentido de Atos 2.38 seria uma das duas versões abaixo:

Na forma normal do texto, sem transposição da frase, temos:

“Arrependei–vos,
isto é, cada um de vós seja batizado em nome de Jesus Cristo
para remissão de vossos pecados
e recebereis o dom do Espírito Santo.”

Ou, na forma do texto alterada pela NVT, com transposição:

“Arrependei–vos, para remissão de vossos pecados
isto é, cada um de vós seja batizado em nome de Jesus Cristo
e recebereis o dom do Espírito Santo.”

Isto implica que a tentativa de separar, por quaisquer motivos, o “ser batizado” da “remissão de pecados”, de fato, não desvincula o batismo do processo que leva à remissão de pecados. O batismo é “isto é” que explica o arrependimento que leva à redenção (CAMP, 1997, p. 38).

Em segundo lugar, fica inalterada a vinculação da recepção do Espírito Santo com o batismo, tanto na leitura normal de Atos 2.38 como na NVT. Em todas as versões, o batismo marca ao acesso à doação do Espírito Santo. Receber o Espírito Santo é de importância idêntica à obtenção da remissão de pecados. A recepção do Espírito é idêntica à ser salvo por Cristo – sem o Espírito, não se participa da filiação divina (Rm 8.8). Logo, Atos 2.38 resiste aos esforços de ser retirado do processo de recepção da salvação por Cristo.

Em terceiro lugar, a mudança de pessoa gramatical, encarada pelos tradutores da NVT como um problema a ser resolvido com o quiasmo, na verdade, não é um problema. Era muito comum na Septuginta e na literatura cristã primitiva. A mudança do imperativo da segunda pessoa do plural para o imperativo na terceira pessoa do singular (exatamente como ocorre em Atos 2.38) “servia para individualizar e fazer enfática a necessidade que cada indivíduo fizesse o que foi ordenado” (FERGUSON, 2009, p. 168). Osburn apresenta os seguintes exemplos de imperativos na segunda pessoa do plural mudados para imperativos na terceira pessoa do singular (OSBURN, 1986, p. 242):

Na Septuaginta:[41]

Êx 16.29 - ἴδετε, ὁ γὰρ κύριος ἔδωκεν ὑμῖν τὴν ἡμέραν ταύτην τὰ σάββατα· διὰ τοῦτο αὐτὸς ἔδωκεν ὑμῖν τῇ ἡμέρᾳ τῇ ἕκτῃ ἄρτους δύο ἡμερῶν· καθήσεσθε ἕκαστος εἰς τοὺς οἴκους ὑμῶν, μηδεὶς ἐκπορευέσθω ἐκ τοῦ τόπου αὐτοῦ τῇ ἡμέρᾳ τῇ ἑβδόμῃ.
“Vede, porque o Senhor vos deu este dia, os sábados; por esta causa ele mesmo vos deu no sexto dia pães para dois dias. Cada um de vós permanecei (καθήσεσθε = 2a pessoa do plural do imperativo) em vossas casas, ninguém saia (ἐκπορευέσθω = 3a pessoa do singular do imperativo) do seu lugar no dia sétimo”.

Js 6.10 - τῷ δὲ λαῷ ἐνετείλατο ᾿Ιησοῦς λέγων Μὴ βοᾶτε, μηδὲ ἀκουσάτω μηθεὶς ὑμῶν τὴν φωνήν, ...
“Mas ao povo, Josué ordenou dizendo: Não griteis (vós) (βοᾶτε = 2a pessoa do plural do imperativo) nem ninguém faça (ele) ouvir a vossa voz (ἀκουσάτω = 3a pessoa do singular do imperativo) ... “

2Rs 10.19 - καὶ νῦν, πάντες οἱ προφῆται τοῦ Βααλ, πάντας τοὺς δούλους αὐτοῦ καὶ τοὺς ἱερεῖς αὐτοῦ καλέσατε πρός με, ἀνὴρ μὴ ἐπισκεπήτω ...
“E agora, todos os profetas de Baal, todos os servos dele e todos os sacerdotes dele chamai (vós) (καλέσατε = 2a pessoa do plural do imperativo) para mim: não falte (ἐπισκεπήτω = 3a pessoa do singular do imperativo) um varão ...”

Zc 7.10 - καὶ χήραν καὶ ὀρφανὸν καὶ προσήλυτον καὶ πένητα μὴ καταδυναστεύετε, καὶ κακίαν ἕκαστος τοῦ ἀδελφοῦ αὐτοῦ μὴ μνησικακείτω ἐν ταῖς καρδίαις ὑμῶν.
“E à viúva, órfão, prosélito e pobre (vós) não oprimireis (καταδυναστεύετε = 2a pessoa do plural do imperativo) e cada um não seja (ele) malicioso (μνησικακείτω = 3a pessoa do singular do imperativo) do seu irmão nos vossos corações.”
1Mc 10.63 - καὶ ἐκάθισεν αὐτὸν ὁ βασιλεὺς μετ᾽ αὐτοῦ καὶ εἶπεν τοῖς ἄρχουσιν αὐτοῦ ᾿Εξέλθατε μετ᾽ αὐτοῦ εἰς μέσον τῆς πόλεως καὶ κηρύξατε τοῦ μηδένα ἐντυγχάνειν κατ᾽ αὐτοῦ περὶ μηδενὸς πράγματος, καὶ μηδεὶς αὐτῷ παρενοχλείτω περὶ παντὸς λόγου.
E o rei sentou-se com ele e disse aos seus principais: “Saí (vós) (᾿Εξέλθατε = 2a pessoa do plural do imperativo) com ele para o meio da cidade e anunciai (vós) (κηρύξατε = 2a pessoa do plural do imperativo) que ninguém intervenha contra ele a respeito de nenhum assunto, e ninguém o perturbe (παρενοχλείτω = 3a pessoa do singular do imperativo) a respeito de toda palavra”.

Na literatura cristã primitiva:[42]

Didaquê 15.3 - Ἐλέγχετε δὲ ἀλλήλους μὴ ἐν ὀργῇ, ἀλλ’ ἐν εἰρήνῃ ὡς ἔχετε ἐν τῷ εὐαγγελίῳ· καὶ παντὶ ἀστοχοῦντι κατὰ τοῦ ἑτέρου μηδεὶς λαλείτω μηδὲ παρ’ ὑμῶν ἀκουέτω, ἕως οὗ μετανοήσῃ.
Repreendei (vós) (Ἐλέγχετε = 2a pessoa do plural do imperativo) uns aos outros, não em ira, mas em paz, como vós tendes no evangelho, e a todo o que falha com o outro, ninguém fale (λαλείτω = 3a pessoa do singular do imperativo) nem escute (ἀκουέτω = 3a pessoa do singular do imperativo) a respeito de vós, até que se arrependa.

Inácio, Aos Magn. 6.2 - πάντες οὖν ὁμοήθείαν θεοῦ λαβόντες ἐντρέπεσθε ἀλληλους καὶ μηδεὶς κατὰ σάρκα βλεπέτω τὸν πλησίον, ἀλλ’ ἐν Ἰησοῦ Χριστῷ ἀλληλους διὰ παντὸς ἀγαπᾶτε...
“Portanto, todos que receberam o mesmo comportamento de Deus, respeitai (vós) (ἐντρέπεσθε = 2a pessoa do plural do imperativo) uns aos outros e a ninguém veja (βλεπέτω = 3a pessoa do singular do imperativo) ao próximo segundo a carne, mas amai (vós) (ἀγαπᾶτε = 2a pessoa do plural do imperativo) uns aos outros em Cristo Jesus por todo (tempo) ...”

Estes exemplos poderiam ser ampliados, mas servem para provar a fraqueza do argumento que tenta criar uma disjunção e rearranjo em Atos 2.38 supostamente utilizando a gramática como base.

Embora estes argumentos de Osburn tenham sido contestados por não fornecerem exatos paralelos com Atos 2.38 (MCINTYRE JR., 1996, p. 55-57), estudos posteriores apresentaram paralelos exatos que fortaleceram a posição de Osburn (SIGNOR, 1999, p. 46-50).

Signor localizou na Septuaginta mais de 80 passagens com imperativos de segunda e terceira pessoa em justaposição. Na análise dele, dez são análogos a Atos 2.38. Ele não encontrou justificativa para qualquer disjunção do discurso para com o público alvo (SIGNOR, 1999, p. 48).

Um caso perfeitamente análogo no Velho Testamento é Josué 4.5:

Js 4.5 - εἶπεν αὐτοῖς Προσαγάγετε ἔμπροσθέν μου πρὸ προσώπου κυρίου εἰς μέσον τοῦ Ιορδάνου, καὶ ἀνελόμενος ἐκεῖθεν ἕκαστος λίθον ἀράτω ἐπὶ τῶν ὤμων αὐτοῦ κατὰ τὸν ἀριθμὸν τῶν δώδεκα φυλῶν τοῦ Ισραηλ,
“Disse-lhes: Ide (vós) (Προσαγάγετε = 2a pessoa do plural do imperativo) diante de mim diante do Senhor para o meio do Jordão e retirando dali cada um (ἕκαστος) uma pedra, carregue (ἀράτω = 3a pessoa do singular do imperativo) sobre os ombros dele segundo o número das doze tribos de Israel.

No Novo Testamento, um caso análogo é 1Coríntios 16.1-2:
1Co 16.1-2 – 1 Περὶ δὲ τῆς λογείας τῆς εἰς τοὺς ἁγίους ὥσπερ διέταξα ταῖς ἐκκλησίαις τῆς Γαλατίας, οὕτως καὶ ὑμεῖς ποιήσατε. 2 κατὰ μίαν σαββάτου ἕκαστος ὑμῶν παρ’ ἑαυτῷ τιθέτω θησαυρίζων ...
“1 A respeito da coleta para os santos assim como ordenei às igrejas da Galácia da mesma forma também vós façais (ποιήσατε = 2a pessoa do plural do imperativo)2 cada primeiro (dia) da semana cada um (ἕκαστος) de vós deposite (τιθέτω = 3a pessoa do singular do imperativo) a partir de si mesmo entesourando...”

Mais uma vez, estes paralelos muito mais exatos e gramaticalmente idênticos não levam a nenhuma disjunção ou transposição de frases.

Em quarto lugar, o pronome singular “cada um” (ἕκαστος) muitas vezes serve como antecedente de um pronome no plural. Atos 3.26, apresenta-se como exemplo deste caso (FERGUSON, 2009, p. 168, CAMP, 1997, p. 39-41). O texto interlinear, abaixo, permitirá observar esta declaração. (Observação: como a ordem do texto em grego fica bem diferente da ordem idiomática da tradução em português, adicionamos uma “interlinear” do verso, antes de mostrar a tradução em boa língua portuguesa).

Atos 3.26 - ὑμῖν πρῶτον ἀναστήσας ὁ θεὸς τὸν παῖδα αὐτοῦ ἀπέστειλεν αὐτὸν εὐλογοῦντα ὑμᾶς ἐν τῷ ἀποστρέφειν ἕκαστον ἀπὸ τῶν πονηριῶν ὑμῶν.

Atos 3.26 - ὑμῖν πρῶτον ἀναστήσας ὁ θεὸς τὸν παῖδα αὐτοῦ
-------------  A vós, primeiro, ressuscitou Deus ao seu servo,
ἀπέστειλεν αὐτὸν εὐλογοῦντα ὑμᾶς ἐν τῷ ἀποστρέφειν
para enviá-lo           abençoar       a vós    no     converter-se
 ἕκαστον ἀπὸ τῶν πονηριῶν ὑμῶν.
cada um       das        maldades vossas

Atos 3.36 - “Deus suscitou aos seu Servo e a vós primeiramente vo-lo enviou para vos abençoar, apartando a cada um das vossas iniquidades” (TB)

Atos 3.36 - “Quando Deus ressuscitou seu Servo, ele o enviou primeiro a vocês, povo de Israel, para abençoá-los, fazendo cada um de vocês se afastar de seus caminhos pecaminosos” (NVT).

Logo, não há razão para descontinuar o discurso de Atos 2.38 e nem rearranjar as frases por conta nem dos verbos e nem dos pronomes, pois o uso idiomático destes era feito com este intercâmbio que não gerava uma quebra no discurso como a proposta na NVT para Atos 2.38 (CAMP, 1997, p. 39-42).

Em quinto lugar, a afirmação de ter encontrado um quiasmo em Atos 2.38, aparentemente, é uma nova forma de falar do velho (e injustificado) argumento da quebra gramatical, mas agora, apresentando motivos literários para a quebra.

Os tradutores da NVT necessitariam analisar os prós e os contras desta “descoberta” de um quiasma em Atos 2.38.

(i)

Lund, em sua obra fundacional sobre quiasma no Novo Testamento, afirmava que a estrutura quiástica acaba por enfatizar o centro, pois nele é que ocorre o ponto de mudança do discurso e também todo o pensamento se organiza em torno dele, logo, o centro acaba por ser enfatizado na estrutura (LUND, 1992, p. 41). Ocasionalmente, o centro é o clímax da narrativa, do argumento ou da frase em uma construção quiástica (BAILEY, 2011, p. 529; BAYLEY, 1985, p. 24-25).

Ora, se levarmos isto em conta, poder-se-ia dizer que a construção de Atos 2.38 em estrutura quiástica coloca o batismo como o centro da conversão: arrependimento e perdão de pecados incluem (inclusio) o batismo em nome de Jesus.

μετανοήσατε, [φησίν,] =====================A
    καὶ βαπτισθήτω   =====================B
    ἕκαστος ὑμῶν ἐπὶ τῷ ὀνόματι Ἰησοῦ Χριστοῦ ==B’
εἰς ἄφεσιν τῶν ἁμαρτιῶν ὑμῶν ================A’

Desta forma, a tentativa de separar o perdão de pecados do ato do batismo, provocou o procedimento inverso: o batismo é o que caracteriza o arrependimento e o perdão de pecados.

O problema é que os tradutores da NVT desconstruíram o quiasma quando removeram a frase “para a remissão de pecados” de sua posição original. Num quiasma, posição é significado, logo, se quisessem transportar a frase, precisariam deixar evidente, na tradução a importância e a “centralidade” da frase central que fala do batismo em nome de Jesus.


(ii)

Outro problema ligado ao quiasma em Atos 2.38 ocorre pelo fato deste quiasma abandonar outras frases do conjunto:

38 Πέτρος δὲ πρὸς αὐτούς·
μετανοήσατε, [φησίν,] =====================A
καὶ βαπτισθήτω  ===========================B
ἕκαστος ὑμῶν ἐπὶ τῷ ὀνόματι Ἰησοῦ Χριστοῦ ========B’
εἰς ἄφεσιν τῶν ἁμαρτιῶν ὑμῶν ================A’
καὶ λήμψεσθε τὴν δωρεὰν τοῦ ἁγίου πνεύματος. ===????

Observa-se que a última frase fica “abandonada” na estrutura. De fato, o conjunto do discurso de Pedro, sobretudo, sua resposta à pergunta da multidão (At 2.37) é bem maior do que apenas o verso 38.

Abaixo, apresentamos o diálogo completo de Atos 2.37-41. Em azul, as palavras da multidão e de Pedro. Em amarelo, os conectivos e conjunções:

37Ἀκούσαντες δὲ κατενύγησαν τὴν καρδίαν
εἶπόν τε πρὸς τὸν Πέτρον καὶ τοὺς λοιποὺς ἀποστόλους·
τί ποιήσωμεν, ἄνδρες ἀδελφοί;
38Πέτρος δὲ πρὸς αὐτούς·
μετανοήσατε, [φησίν,]
καὶ βαπτισθήτω ἕκαστος ὑμῶν ἐπὶ τῷ ὀνόματι Ἰησοῦ Χριστοῦ
                                                                   εἰς ἄφεσιν τῶν ἁμαρτιῶν ὑμῶν
καὶ λήμψεσθε τὴν δωρεὰν τοῦ ἁγίου πνεύματος.
39ὑμῖν γάρ ἐστιν ἡ ἐπαγγελία
                           καὶ τοῖς τέκνοις ὑμῶν
                           καὶ πᾶσιν τοῖς εἰς μακράν,
                                             ὅσους ἂν προσκαλέσηται κύριος ὁ θεὸς ἡμῶν.
40ἑτέροις τε λόγοις πλείοσιν διεμαρτύρατο
                           καὶ παρεκάλει αὐτοὺς λέγων·
σώθητε ἀπὸ τῆς γενεᾶς τῆς σκολιᾶς ταύτης.
41οἱ μὲν οὖν ἀποδεξάμενοι τὸν λόγον αὐτοῦ ἐβαπτίσθησαν
          καὶ προσετέθησαν ἐν τῇ ἡμέρᾳ ἐκείνῃ ψυχαὶ ὡσεὶ τρισχίλιαι.

A primeira resposta de Pedro ocupa dois versos: 38 e 39. Logo, todo o verso 39 parece ser modificador da última frase do verso 38: receber o do Espírito Santo é explicado como “a promessa”.

Finalmente, a última frase do verso 40 parece ser um resumo do apelo que os versos 38 e 39 ofereceram.

O verso 41 apresenta o resultado da aceitação da palavra, não em termos de arrependimento, mas de batismo e de adesão ao grupo dos discípulos de Jesus. O passivo (προσετέθησαν) pode bem ser classificado como “passivo divino” à luz de Atos 2.47. No batismo, Deus acrescenta pessoas ao seu povo.

Assim, encontrar uma estrutura quiástica em apenas uma parte de Atos 2.38 parece insuficiente e reducionista.

(iii)

Certamente, há outras formas de “interpretar” ou coordenar as frases de Atos 2.38 de forma que a estrutura assuma outras possibilidades, uma vez que já ficou provado que a troca de pessoas verbais não prova nada e nem cria qualquer disjunção.

(a) Uma primeira forma, ABBC, respeitaria a frase final do verso como participante da unidade literária. Os itens respeitariam uma “lógica trinitariana”: a frase A descreve o arrependimento para com Deus Pai; B e B’ relacionam-se com Jesus, o Filho; e C fala da ação do Espírito.

38 Πέτρος δὲ πρὸς αὐτούς·
μετανοήσατε, [φησίν,] =========================A
καὶ βαπτισθήτω ἕκαστος ὑμῶν ἐπὶ τῷ ὀνόματι Ἰησοῦ Χριστοῦ =B’
                                                         εἰς ἄφεσιν τῶν ἁμαρτιῶν ὑμῶν =B’
καὶ λήμψεσθε τὴν δωρεὰν τοῦ ἁγίου πνεύματος.  ============C

38 Pedro disse a eles:
Arrependei-vos =============================A
e cada um de vós seja batizado no nome de Jesus Cristo ====B
                        para remissão dos vossos pecados ===========B’
e recebereis o dom do Santo Espírito. ===================C

(b) Outra forma de pensar, respeitaria a lógica gramatical. Veja o diagrama abaixo:[43]


Embora este esquema não seja o único modo de interpretar a gramática do texto, tal organização é possível e não faz violência ao texto. “Arrependei-vos”, a frase “A” e “recebereis o dom do Espírito Santo”, a frase “C”, deixam a frase “B” e “B’” no centro do verso. O inclusio, da frase “seja batizado cada um de vós em nome de Jesus Cristo para a remissão de vossos pecados” enfatiza a ação esperada do público para demonstrar o arrependimento e receber o Espírito.

(c) Também é possível uma terceira forma de dividir o texto: os verbos “arrepender” e “batizar” ficam na primeira linha (A), o verbo “receber” fica na última (C), e no centro de tudo, regidos por duas preposições (ἐπὶ, εἰς) que mostram a base e a direção do movimento obtido pela obediência aos verbos “arrepender e batizar”.

38 Πέτρος δὲ πρὸς αὐτούς·
μετανοήσατε, [φησίν,] καὶ βαπτισθήτω ἕκαστος ὑμῶν ====A
                             ἐπὶ τῷ ὀνόματι Ἰησοῦ Χριστοῦ ============B
                             εἰς ἄφεσιν τῶν ἁμαρτιῶν ὑμῶν ============B’
καὶ λήμψεσθε τὴν δωρεὰν τοῦ ἁγίου πνεύματος. ============C

38 Pedro disse a eles:
Arrependei-vos e cada um de vós seja batizado =========A
                        no nome de Jesus Cristo =================B
                        para remissão dos vossos pecados ===========B’
e recebereis o dom do Santo Espírito. ===================C

Como já dissemos nos estudos anteriores, muito autores enfatizam o fato da “remissão de pecados” estar ligada tanto ao batismo como ao arrependimento (BRUCE, 1979, p. 98).

Enfim, todas estas formas de organizar o texto, não alteram a ordem do texto, mudando o sentido do verso, e, também, incluem a frase final de Atos 2.38 na estrutura, não a deixando “órfã” no discurso.


******
Lanny Thomas Tanton, em um artigo baseado em sua dissertação de mestrado, apresenta várias possibilidades de interpretação de Atos 2.38, é particularmente crítico à tentativa de fazer a “ruptura sintática”, que é justamente o que a NVT fez.

“Estou mais convencido do que nunca que todos os esforços para separar o batismo do perdão dos pecados em Atos 2:38 por apelos à gramática não são muito promissores. Eu ainda acredito que a posição de "eis causal" é uma maneira não natural de entender a gramática e a alternativa de "ruptura sintática" é muito sutil. Além disso, ambos têm a aparência de um argumento especial, de construir um caso sobre exceções. No entanto, destes dois, a "ruptura sintática" se aproxima, na minha opinião, da verdadeira solução, mas não na base da gramática” (TANTON, 1990, p. 86-87).

Veja, que Tanton quer aceitar uma “ruptura” com base na teologia e não na gramática. Suas palavras são profundamente reveladoras das verdadeiras motivações por trás da transposição da frase “para remissão dos vossos pecados” em Atos 2.38.

CRÍTICA DE TANTON SOBRE ESTA INTEPRETAÇÃO DE ATOS 2.38
Primeiro, os defensores desta posição não demonstraram que uma ruptura sintática comparável existe em outros lugares nos escritos de Lucas, nem tentaram demonstrá-la a partir de quaisquer paralelos de fontes não-bíblicas gregas. Embora isso não anule a possibilidade de tal ruptura existir em Atos 2:38, ele levanta a questão de se há ou não aqui um argumento especial usando sutilezas da gramática grega.
Em segundo lugar, esta interpretação deixa o propósito do batismo não expresso na passagem. De acordo com essa interpretação, nunca se aprende com a leitura de Atos 2:38 por que alguém deve ser batizado. Na verdade, seria mais natural estender a parênese (se houver uma aqui) para ler: "Arrependei-vos (e sede batizados ... para a remissão dos pecados) e recebereis ..."
Em terceiro lugar, é mais natural conectar a frase preposicional "para remissão de pecados" ao antecedente mais próximo ou a ambos os verbos (eles estão conectados com kai, "arrepender-se e ser batizados") em vez de conectá-lo ao primeiro verbo somente.
Em quarto lugar, essa interpretação conduz a mal-entendidos sobre a gramática grega. Esta posição repousa sobre uma diferença de número entre os dois verbos e a frase preposicional. Isso é algo que as gramáticas gregas padrão não abordam. Enquanto as gramáticas discutem o acordo de sujeito e verbo, elas não discutem a ideia de concordância entre frases verbais e preposicionais. Em outras palavras, o argumento de que ocorre uma quebra sintática aqui que faz uma declaração entre parênteses é muito difícil de confirmar. De fato, há evidências de que uma mudança de número nos verbos, como em Atos 2:38, fortalece a exigência de batismo e de modo algum afeta sua relação natural com a frase "para remissão de pecados".
Em quinto lugar, o argumento teológico para esta interpretação é muito interessante e não sem mérito. O batismo pode ser entendido como expressão cerimonial do arrependimento que por si só traz o perdão (ver Lucas 3:3). Entretanto, embora isto possa explicar Atos 2:38, pode-se questionar se essa abordagem nos dá um método para lidar com as passagens mais difíceis de Atos 22:16 e 1 Pedro 3:21. Esses versículos não são facilmente descartados como falando apenas da importância do valor simbólico do batismo.

Para concluir, cito as palavras de Signor, em dois trechos de sua dissertação de Mestrado onde ele critica justamente a proposta da NVT para Atos 2.38:

“Esta passagem [ele fala de Atos 2.38], talvez tanto quanto qualquer outra, foi vítima da eisegese - teologia que controla a exegese.” (SIGNOR, 1999, p. 46). “A exegese governada pela teologia resultou em muitos argumentos gramaticais complicados que não se sustentam depois de um exame cuidadoso.” SIGNOR, 1999, p. 50).

Ao que tudo indica, em Atos 2.38 temos eisegese na NVT!

O argumento da teologia

Aparentemente, única razão pela qual a NTV sustenta a transposição de “para remissão de vossos pecados” na sua tradução de Atos 2.38 é a teologia evangélica. Usar a palavra “aparentemente” na frase acima, trabalha com o texto, na forma como se apresenta, e com a cultura dos tradutores, descrita como “alguns dos principais eruditos em línguas originais da comunidade evangélica brasileira” (NVT, 2016, p. ix).

Ora, um bom segmento do evangelicalismo brasileiro não acolhe bem a leitura normal de Atos 2.38 que afirma que o batismo seria feito, entre outras coisas, para remissão de pecados.

Um resumo da posição de alguns evangélicos sobre Atos 2.38 está na obra de Geisler e Howe que trata textos difíceis e problemáticos da Bíblia. Causa surpresa que Atos 2.38 esteja entre os textos desta “categoria”. Sete argumentos são apresentados contra a leitura que o batismo seja necessário para a salvação (GEISLER; HOWE, 1999, p. 434-435). Apresento uma refutação destes sete argumentos em uma obra anterior (PESTANA, 2016, p. 338-345) de forma que não creio ser necessário repetir esta refutação aqui. Nos próximos parágrafos, apresentarei alguns contra-argumentos que imagino que seriam invocados para defender a NVT no caso de Atos 2.38, embora não tenha certeza que os editores ou tradutores tenham usado estes argumentos em sua concepção de tradução.

Refutação do argumento da teologia

O preconceito contra a leitura simples de Atos 2.38, provavelmente, decorre da tentativa de evitar extremos que: (i) o sacramentalismo; (ii) salvação por obras; (iii) salvação independente de Cristo; (iv) salvação independente da fé ou do arrependimento. O alvo sempre será defender o princípio da “fé somente”, não excluindo o arrependimento ou a confissão de fé, mas, excluindo o batismo.

No caso de Atos 2.38, o raciocínio pode ser percorrido em vários caminhos: (i) a teologia de Lucas-Atos; (ii) a teologia dos Evangelhos; e (iii) a teologia do Novo Testamento em geral. Iremos percorrer estes três caminhos, de modo resumido.

A teologia de Lucas-Atos

Quando se tenta argumentar contra Atos 2.38 ensinar que o batismo tem relação com a remissão de pecados, um ponto de partida é a teologia de Lucas, em suas obras: o Evangelho de Lucas e o Livro de Atos.

Um dos primeiros argumentos, que posso imaginar, é a citação de Lucas 24.47 para estabelecer uma ligação entre arrependimento e remissão de pecados que exclua a menção do batismo:

Lucas 24.47 - καὶ κηρυχθῆναι ἐπὶ τῷ ὀνόματι αὐτοῦ μετάνοιαν εἰς ἄφεσιν ἁμαρτιῶν εἰς πάντα τὰ ἔθνη. ἀρξάμενοι ἀπὸ Ἰερουσαλὴμ

Lucas 24.47 – e pregar-se no nome dele arrependimento para remissão de pecados para todas as nações, começando em Jerusalém.

Além disto, Atos 3.19 também é invocado, por falar de perdão ligado ao arrependimento e à conversão e não mencionar o batismo:

Atos 3. 19 - μετανοήσατε οὖν καὶ ἐπιστρέψατε εἰς τὸ ἐξαλειφθῆναι ὑμῶν τὰς ἁμαρτίας,

Atos 3.19 – arrependei-vos, portanto, e convertei-vos para o cancelamento dos vossos pecados.

Contudo, ambos os textos, tanto Lucas 24.47 como Atos 3.19, guardam muitas relações com Atos 2.38:

Atos 2.38 - μετανοήσατε, [φησίν,] καὶ βαπτισθήτω ἕκαστος ὑμῶν ἐπὶ τῷ ὀνόματι Ἰησοῦ Χριστοῦ εἰς ἄφεσιν τῶν ἁμαρτιῶν ὑμῶν καὶ λήμψεσθε τὴν δωρεὰν τοῦ ἁγίου πνεύματος.

Atos 2.38 - Arrependei-vos e cada um de vós seja batizado no nome de Jesus Cristo para remissão dos vossos pecados e recebereis o dom do Santo Espírito.

Destas relações entre os três textos, reforça-se o valor do batismo como parte integral da resposta ao evangelho, como expressão de arrependimento e como momento em que ocorre a chamada “conversão”: ou seja, do processo que leva à salvação.

Na tabela abaixo, observamos as relações entre os textos:

(i) Os paralelos mais óbvios são o arrependimento/arrepender-se que ocorre nos 3 versos e também a frase remissão de pecados ou cancelamento dos pecados que também ocorre nos três versos. A questão do “nome de Jesus” aparece apenas em dois versos.

(ii) O arrependimento é pregado “no nome dele (Jesus)” assim como o batismo é realizado “em nome de Jesus Cristo”. Logo, a pregação de arrependimento e o batismo tem a mesma base ou origem.

(iii) O “arrepender-se” faz uma hendíadis (ou paralelismo) com o “converter-se” e, Atos 3.19.

(iv) Adicionalmente, o “converter-se” em Atos 3.19 está em paralelo com “ser batizado” em Atos 2.38.

Lucas 24.47
Atos 2.38
Atos 3.19
καὶ κηρυχθῆναι
ἐπὶ τῷ ὀνόματι αὐτοῦ
μετάνοιαν


εἰς ἄφεσιν ἁμαρτιῶν



εἰς πάντα τὰ ἔθνη. ἀρξάμενοι ἀπὸ Ἰερουσαλὴμ



μετανοήσατε,
καὶ βαπτισθήτω ἕκαστος ὑμῶν ἐπὶ τῷ ὀνόματι Ἰησοῦ Χριστοῦ
εἰς ἄφεσιν τῶν ἁμαρτιῶν ὑμῶν

καὶ λήμψεσθε τὴν δωρεὰν τοῦ ἁγίου πνεύματος.



μετανοήσατε οὖν
καὶ ἐπιστρέψατε

εἰς τὸ ἐξαλειφθῆναι ὑμῶν τὰς ἁμαρτίας,
e pregar-se
no nome dele
arrependimento



para remissão de pecados



para todas as nações, começando em Jerusalém


Arrependei-vos

e cada um de vós seja batizado no nome de Jesus Cristo
para remissão dos vossos pecados

e recebereis o dom do Santo Espírito.


arrependei-vos, portanto,
e convertei-vos

para o cancelamento dos vossos pecados.

Assim, embora o alvo seja afirmar que Lucas 24.47 e Atos 3.19 não mencionam o batismo, percebe-se que o que se fala do ou sobre o batismo em Atos 2.38 toca justamente em tudo que se diz sobre o arrependimento ou o arrepender-se daqueles dois textos:

(i) Em Lucas 24.47 o arrependimento é pregado em nome de Jesus e para a remissão de pecados. Em Atos 2.38 o ser batizado é realizado em nome de Jesus para a remissão de pecados. Nada poderia aproximar mais o batismo do arrependimento e o arrependimento do batismo.

(ii) Em Atos 3.19 o arrependimento e/ou a conversão leva ao cancelamento dos pecados. Em Atos 2.38 o arrependimento e o batismo levam ao perdão de pecados e a promessa do Espírito. Nada poderia aproximar mais o arrependimento do batismo e o batismo do arrependimento. O momento da conversão é o momento do batismo, ou seja, do arrependimento.

Claro que alguns do mundo evangélico não querem ver os textos desta forma. Pensam mais em exclusão do que em inclusão. Como os textos de Lucas 24.47 e Atos 3.19 não falam de batismo, consideram Atos 2.38 um texto problemático que precisa ser vencido por meio de uma interpretação que salvaguarde o dogma.

Contudo, a teologia de Lucas vai contra a interpretação que ensina uma disjunção entre arrependimento e batismo.

(i) O batismo de João Batista foi chamado de “batismo de arrependimento para remissão de pecados” (Lucas 3.3 - βάπτισμα μετανοίας εἰς ἄφεσιν ἁμαρτιῶν). Assim, na pregação de João, não se pensava em um momento de arrependimento distinto do momento do batismo: o batismo era um caracterizado por um ato de pessoa arrependida. A pregação de batismo de arrependimento exigia os frutos posteriores do arrependimento (Lc 3.7-14). Logo, o batismo não era consequência do arrependimento, mas a inauguração do mesmo na vida da pessoa. Na teologia de Lucas, o batismo de João era um batismo de arrependimento, sem nenhuma disjunção entre o arrependimento e o batismo. Na verdade, a relação de genitivo do arrependimento com o batismo mostra que o batismo era caracterizado pelo arrependimento e desta conjunção batismo-de-arrependimento, vinha a “remissão de pecados”.

(ii) O batismo de João era “batismo de arrependimento” especialmente para Israel (At 13.24 - προκηρύξαντος [...] βάπτισμα μετανοίας παντὶ τῷ λαῷ Ἰσραήλ; “pregando batismo de arrependimento a todo o povo”) (At 19.4 - ἐβάπτισεν βάπτισμα μετανοίας τῷ λαῷ; “realizou batismo de arrependimento ao povo). Os dois textos focam, focam a necessidade de arrependimento para o povo de Israel. O alvo era a mudança, arrependimento, que se evidenciaria pela fé em Jesus (At 13.24-25; 19.4). Assim, o batismo de João marcava o momento de fé na pregação de João que anunciava Jesus. Mais uma vez, não havia distinção entre batismo-arrependimento-fé. Não ser batizado por João era equivalente a não crer nele (Lc 20.5). A mudança que a pregação de João exigia não era apenas uma reforma moral, mas a fé na ação do Messias que viria com o perdão de pecados (Lc 1.77).

Atos 19.4 - Ἰωάννης ἐβάπτισεν βάπτισμα μετανοίας τῷ λαῷ λέγων εἰς τὸν ἐρχόμενον μετ’ αὐτὸν ἵνα πιστεύσωσιν, τοῦτ’ ἔστιν εἰς τὸν Ἰησοῦν.

Atos 13.24 - προκηρύξαντος Ἰωάννου πρὸ προσώπου τῆς εἰσόδου αὐτοῦ βάπτισμα μετανοίας παντὶ τῷ λαῷ Ἰσραήλ.

(iii) A teologia de Lucas, associa claramente o batismo ao momento do perdão de pecados, não apenas em Atos 2.38, texto retocado pela NVT, mas também em Atos 22.16.
Atos 22.16 - καὶ νῦν τί μέλλεις; ἀναστὰς βάπτισαι καὶ ἀπόλουσαι τὰς ἁμαρτίας σου ἐπικαλεσάμενος τὸ ὄνομα αὐτοῦ.

Atos 22.16 – E agora por que te demoras? Levantando, batiza-te e lava-te dos pecados teus, invocando o nome dele. [tradução literal]

Atos 22.16 – Agora, por que te demoras? Levanta-te, recebe o batismo e lava os teus pecados, invocando o seu nome. (TB)

Dois imperativos e dois particípios explicam o significado do batismo no processo salvífico.

a.    Os imperativos são “batiza-te e lava-te” (βάπτισαι καὶ ἀπόλουσαι). Ambos estão na voz média (BRUCE, 1979, p. 403). Assim o batismo é tratado como um lavar dos pecados (ἀπόλουσαι τὰς ἁμαρτίας σου). Provavelmente, a melhor tradução é “receba o batismo e lava os teus pecados”.

b.    Os particípios que qualificam estes imperativos são: “levantando [...] invocando” (ἀναστὰς [...] ἐπικαλεσάμενος). O primeiro particípio exorta Paulo para o batismo e o segundo explica o sentido do batismo: invocar o nome de Jesus.

O texto de Lucas apresenta o batismo como o momento de “lavar” os pecados (1Co 6.11) e também como a forma de “invocar” o nome de Jesus (At 2.21; Rm 10.13).

Infelizmente, a NVT, também em Atos 22.16 manifesta suas tendências “eisegéticas”, introduzindo no texto uma divisão que não existe no original, em defesa de sua teologia particular.

Atos 22.16 - καὶ νῦν τί μέλλεις; ἀναστὰς βάπτισαι καὶ ἀπόλουσαι τὰς ἁμαρτίας σου ἐπικαλεσάμενος τὸ ὄνομα αὐτοῦ.

Atos 22.16 – E agora por que te demoras? Levantando, batiza-te e lava-te dos pecados teus, invocando o nome dele. [tradução literal]

Atos 22.16 – O que está esperando? Levante-se e seja batizado! Fique limpo de seus pecados invocando o nome do Senhor. (NVT)

Assinalamos dois pontos em que a NVT distorce, novamente, o texto grego, tentando retirar dos textos bíblicos, qualquer ligação do batismo como perdão de pecados.

(a)          O primeiro erro é a introdução de um ponto de exclamação no lugar da conjunção “e” [καὶ] que marca, sintaticamente, uma coordenação aditiva. Ao invés de “... seja batizado e fique limpo...” eles destroem a coordenação dizendo “... seja batizado! Fique limpo...”. Nenhuma versão citada no aparato de segmentação do texto grego que eles dizem ter adotado (NVT, 2016, p. x), apresenta esta pontuação (THE GREEK NEW TESTAMENT, 1994, p. 497, aparato).

(b)         O segundo erro é mais sutil. O verbo “lavar-se” ἀπολούομαι, tem seu sentido ligado a purificar-se, limpar-se e lavar-se por meio de banho. Contudo, a NVT tenta, por meio da quebra e do uso da frase “fique limpo” obscurecer a metáfora de banho e lavagem que está no verbo. A escolha é sutil, mas oculta a mensagem do texto, ao invés de deixa-la clara.

Apesar das constantes distorções, a teologia de Lucas ainda associa o batismo com a fé. Vários exemplos mostram que os que criam eram batizados (At 8.12-13; 16.30-34; 18.8).

O diálogo de Paulo com os seguidores de João Batista mostra que a fé, a doação do Espírito e o batismo eram entendidos como um único momento de redenção (Atos 19.1-7).

A pergunta inicial foi: “Recebestes o Espírito Santo quando crestes?” (At 19.2). Depois, com a negativa deles, a pergunta foi: “Que batismo, pois, recebestes?” (At 19.3). Logo, a ligação fé-batismo-Espírito fica claríssima, na teologia de Lucas.

Enfim, a teologia de Lucas não exige e nem sugere a necessidade de fazer a disjunção ou o deslocamento da frase “para remissão de pecados” em Atos 2.38, para liga-la apenas ao arrependimento. A leitura mais natural que liga a remissão de pecados ao processo todo que envolve fé, arrependimento e batismo é a congenial e concorde com a teologia de Lucas.

A teologia dos Evangelhos

A teologia dos Evangelhos sobre o batismo combina com Atos 2.38 em sua ênfase na “remissão de pecados” que é oferecida no batismo.

O primeiro texto que explica o significado do batismo de João Batista, Marcos 1.4-5, mostra que este batismo era: (i) batismo de arrependimento; (ii) batismo de arrependimento para remissão de pecados; (iii) um batismo que ao ser realizado, consumava uma confissão de pecados.

Marcos 1.4-5 - ἐγένετο Ἰωάννης [ὁ] βαπτίζων ἐν τῇ ἐρήμῳ καὶ κηρύσσων βάπτισμα μετανοίας εἰς ἄφεσιν ἁμαρτιῶν. [...] καὶ ἐβαπτίζοντο ὑπ’ αὐτοῦ ἐν τῷ Ἰορδάνῃ ποταμῷ ἐξομολογούμενοι τὰς ἁμαρτίας αὐτῶν.

Marcos 1.4-5 – apareceu João Batista no deserto, pregando o batismo de arrependimento para remissão de pecados. [...] e eram por ele batizados no rio Jordão, confessando seus pecados. (TB)

Mateus explica que João pregava o arrependimento (Mt 4.2), afirmando que os que acolhiam o batismo estavam, ao fazê-lo, confessando seus pecados (Mt 4.6). Mateus mostra como João não acolhia pessoas que queriam o batismo, mas não queriam arrepender-se na vida prática (Mt 4.7-10).

Quais seriam os motivos pelos quais João Batista não queria batizar Jesus (Mt 3.14)? O texto não explicita, mas se o batismo era “de arrependimento”, “para perdão dos pecados” e também uma “confissão de pecados”, então, Jesus não poderia participar dele de modo nenhum. Jesus aceitou a verdade das declarações de João, mas pediu que ele olhasse para o batismo dele de um modo alternativo: seu batismo seria um jeito de “cumprir toda a justiça” (Mt 3.15).

Assim, na teologia dos Evangelhos favorece a leitura normal de Atos 2.38 onde o batismo cristão, além dos elementos que o batismo de João apresentava, ainda dava o Espírito, coisa que o próprio João afirmava da eficácia superior do Messias (Mt 3.11-12; Lc 3.15-18; Jo 1.24-28).

O evangelho de João fala de uma polêmica entre os discípulos de João e um judeu sobre o tema da “purificação” (Jo 3.25). Contudo, quando os discípulos de João vão questionar seu mestre sobre este assunto, não falam sobre as purificações dos judeus, mas sobre o fato de Jesus estar batizando muito gente, mais gente do que eles (Jo 2.26). Logo, para quem ler o texto sem preconceitos, “purificação” tem a ver com o “batismo” (MICHAELS, 1994, p. 75). 

Claro que o texto não explica a natureza exata do debate que o judeu trouxe contra os discípulos de João, mas fica o fato que o batismo de João e de Jesus não era ligado às purificações rituais judaicas, mas a única purificação oferecida era relativa aos pecados: “para remissão de pecados”.

O antigo Evangelho dos Ebionitas[44] e também Justino Mártir[45] chamam o batismo de João de “batismo de arrependimento”, βάπτισμα μετανοίας.

Assim, os ensinos de João Batista sobre o batismo eram preparatórios para entender o batismo cristão, que começou a ser praticado em Atos 2.38-39, 41.

A teologia do Novo Testamento

Muito poderia ser dito em geral sobre o batismo no Novo Testamento, mas não cabe repetir aqui o que já foi dito no excelente artigo “O batismo mediante o exercício da fé” de Júlio Paulo Tavares Zabatiero no Novo Dicionário Internacional de Teologia do Novo Testamento. (BROWN, 1981, p. 275-287).

Vale a pena ressaltar que:

Ser batizado em nome de Jesus Cristo para a remissão de pecados não é sacramentalismo.

Atos 2.38 afirma que o batismo está inserido em um processo que começa com ouvir o evangelho, prossegue com a manifestação de fé na mensagem (At 2.37) e se consuma na mudança de vida marcada pela decisão do arrependimento e o ato do batismo, que são unidos e inseparáveis (At 3.38). O resultado é que Deus dá o perdão dos pecados e o Espírito Santo. Não há sacramento: mágica pela água ou pelo ritual. Este oferecimento da graça salvadora é feito por Deus, por meio de Jesus, no poder do Espírito.

Ser batizado em nome de Jesus Cristo para a remissão de pecados não é salvação por obras.

Em lugar algum o batismo é chamado “obra”. Se foi o cumprimento de “toda a justiça” para Jesus (Mt 3.15), certamente, para todos os pecadores não pode ser uma obra de jeito algum, pois é um mandamento no alvo de sermos salvos. É como o mandamento de ter fé ou arrepender-se ou confessar Jesus como Senhor. Estas coisas não são “obras” e não nos dão mérito. Na verdade, são o modo pelo qual Deus nos conduz à graça. Assim também o batismo, cuja forma verbal está geralmente no passivo, enquanto mandamento, significa que nos submetemos a Deus e ao evangelho. Não representa obra ou mérito humano, mas obediência de fé ao evangelho (Rm 1.5).

Ser batizado em nome de Jesus Cristo para a remissão de pecados não é negação da redenção por Cristo.

Muitas vezes, inventa-se uma falsa doutrina para atribuí-la à leitura normal de Atos 2.38. Inventa-se que se o batismo salva, então Cristo não salva. Tal raciocínio não é verdadeiro. O único salvador é Jesus. A questão não é quem salva: Cristo ou o batismo? Esta é uma questão errada. Cristo é o salvador. A questão é: Quando Cristo salva? No momento que a pessoa creu? Não. Em Atos 2.37 o público manifestou fé na pergunta que fez a Pedro. Então quando Cristo salva? Quando a pessoa se arrepende? Sim, e o arrependimento, na pregação do evangelho, tem forma: chama-se batismo de arrependimento para remissão de pecados. Então, quando a pessoa tem fé, se arrepende e se batiza, então Cristo salva a pessoa. A salvação não vem por um simples mergulho na água, mas também não ocorre antes do mergulho: batismo. É depois do batismo que a pessoa mostrou sua fé, seu arrependimento – vai ser perdoada e receber o Espírito.

Ser batizado em nome de Jesus Cristo para a remissão de pecados não é exceção, irrepetível e única.

Há quem queira dize que as condições de Atos 2.38 só se aplicavam à geração de judeus que matou Jesus. Mas o livro de Atos e também as cartas do Novo Testamento, mostram que todos os cristãos foram batizados e que o batismo era o modo de ser revestido por Cristo (Gl 3.26-27), ou seja, de ser salvo (1Pe 3.21). A grande comissão prega a fé e batismo como condições de receber a graça de Deus (Mc 16.16).

Ser batizado em nome de Jesus Cristo para a remissão de pecados não é contraditado pela salvação por fé.

Quem crê, de verdade, será batizado (Mc 16.16). Somos filhos de Deus pela fé, pois no batismo somos revestidos de Cristo (Gl 3.26-27): fé e batismo estão em um pacote único de conversão. No batismo, tomamos contato com a morte redentora de Jesus e com a sua ressurreição (Rm 6.1-11). O batismo é o momento da nossa circuncisão espiritual que joga fora não apenas um pedaço do corpo físico, mas toda a carne pecaminosa (Cl 2.11-12). No batismo, todos recebemos o Espírito e somos incluídos no corpo de Cristo (1Co 12.12-13).

Ser batizado em nome de Jesus Cristo para a remissão de pecados não é contraditado pela salvação por arrependimento.

O arrependimento e o batismo estão intimamente ligados na formula antiga “batismo de arrependimento”. O batismo é o arrependimento em seu princípio: morrer para a velha vida e nascer para a nova vida (Rm 6.1-11 e Cl 2.11-12).

*****

A teologia de Lucas, a teologia dos Evangelhos e a teologia do Novo Testamento não isolam o batismo da remissão de pecados, como a NVT tentou fazer em Atos 2.38.

Somente um segmento da teologia evangélica sofre deste tipo de repulsa pelo batismo como parte do processo pelo qual Deus concede a graça da salvação em Cristo.

A teologia bíblica não é contra a leitura normal e na ordem natural de Atos 2.38.



******


Conclusão e apelo:

A NVT em Atos 2.38 (e infelizmente em muitos textos similares) procura desvincular o batismo do processo de salvação, favorecendo uma linha de pensamento da teologia evangélica que não representa a unanimidade e muito menos representa o texto do Novo Testamento.

A esperança deste estudo é que os editores revejam suas opções de tradução para permitir, ao texto bíblico, as possibilidades de leitura inerentes ao texto, sem fazer opções de tradução que impeçam ao leitor moderno a capacidade de avaliar as possibilidades interpretativas do texto apostólico. O perigo de silenciar algumas das possibilidades de leitura do texto é esvaziar seu pleno significado e o convite a uma leitura humilde que acolhe as múltiplas possibilidades dele.

Que os leitores possam receber o texto nas suas problemáticas originais e tomar sua opção teológica, mesmo que esta não seja a opção que os editores preferem.

Qualquer tradução que obscurece o texto em favor de uma teologia não é honesta. A NVT corre o risco de caracterizar-se como propaganda e ferramenta ideológica e não uma autêntica tradução da Bíblia.



BIBLIOGRAFIA CITADA:

ALAND, Kurt. Synopsis Quattuor Evangeliorum. Editio tertia decima revisa. Stuttgart: Deustsche Bibelgesellschaft Stuttgart, 1988.
BAUER, Walter; ARNDT, Willian F.; GINCHICH, F. Wilbur; DANKER, Frederick W. A Greek-English Lexicon of the New Testament and Other Early Christian Literature. Chicago: The Chicago University Press, 1979.
BRUCE, F. F. Romanos: Introdução e comentário. São Paulo: Vida Nova, 1979.
BRUCE, F. F. The Acts of the Apostles: the greek text with introduction and commentary. Ninth printing. Grand Rapids: Eerdmans, 1979.
CAMP, Ashby L. Reexamining the Rule of Concord in Acts 2:38 Restoration Quarterly 39.1 (First Quarter 1997), p. 37-42.
FERGUSON, Everett. Baptism in the Early Church: History, Theology, and Liturgy in the First Five Centuries. Grand Rapids: Eerdmans, 2009.
GEISLER, Norman; HOWE, Thomas. Manual Popular de dúvidas e “contradições” da Bíblia. São Paulo: Mundo Cristão, 1999.
LUND, Niels W. Chiasmus in the New Testament: A Study in the Form and Function of Chiastic Structures. Peabody: Hendrickson, 1992.
MCINTYRE JR., Luther B. Baptism and Forgiveness in Acts 2:38 Bibliotheca Sacra 153 (January-March 1996) p. 53-62.
MICHAELIS, J. Ramsey. Novo Comentário Bíblico Contemporâneo – João. São Paulo: Vida, 1994.
MÜLLER, Ênio R. 1Pedro: Introdução e comentário. São Paulo: Vida Nova, 1988.
NESTLE-ALAND (Editores). Novum Testamentum Graece (28ª Edição), Deutsche Bibelgesllschaft Stuttgart, Stuttgart, 2012.
NESTLE-ALAND (Editores). Novum Testamentum Graece (27ª Edição), Deutsche Bibelgesllschaft Stuttgart, Stuttgart, 1993.
OMANSON, Roger L. Variantes Textuais do Novo Testamento: Análise e Avaliação do Aparato Crítico de “O Novo Testamento Grego”, Barueri: SBB, 2010.
OSBURN, Carroll D. Interpreting Greek Sintax In: KEARLEY, F. Furman; MYERS, Edward P.; HADLEY, Timothy D. Biblical Interpretation: Principles and Pratice – Studies in Honor of Jack Pearl Lewis. Grand Rapids: Baker, 1986.
O NOVO TESTAMENTO GREGO – 4a Edição Revisada com introdução em português e dicionário grego-português. São Paulo: Sociedade Bíblica do Brasil; Stuttgart: Sociedade Bíblica Alemã, 2009.
ORTIZ, Juan Carlos. O Discípulo. 5a Edição. Belo Horizonte: Betânia, 1978.
PESTANA, A. C. Sempre Me Perguntam! 4a Edição. Recife: Editora EBNESR, 2016.
SIGNOR, Schuyler. The Third Person Imperative in The Greek New Testament. (M. A. Thesis). Abilene: Abilene Christian University, 1999. Disponível em http://kingstonnychurchofchrist.org/yahoo_site_admin/assets/docs/THE_THIRD_PERSON_IMPERATIVE_IN_THE_GREEK_NEW_TESTAMENT.31201317.pdf  Acessada em 20.dez/2016.
TANTON, Lanny Thomas. The Gospel and Water Baptism: Another Look at Acts 2:38, with a New Afterword. JOTGES (Spring 1990). Disponível em https://faithalone.org/journal/2012ii/Tanton.pdf Acessado em 20/dez.2016.
TAYLOR, W. C. Introdução ao Estudo do Novo Testamento Grego. 5a Edição. Rio de Janeiro: JUERP, 1977.
THE COMPARATIVE BIBLE: New Testament Edition. Nashville: Royal Publishers, 1969.
THE GREEK NEW TESTAMENT. Fourth Revised Edition. 2nd print. Stuttgart: Deutsche Bibelgesellschaft, 1994.
VAUGHAN, Curtis. The New Testament from 26 Translations. Grand Rapids: Zondervan, 1967.
ZABATIERO, Júlio Paulo Tavares “O batismo mediante o exercício da fé” In BROWN. Colin (Ed.). Novo Dicionário Internacional de Teologia do Novo Testamento. Vol. 1. São Paulo: Vida Nova, 1981, p. 275-287.


VERSÕES BÍBLICAS CITADAS:

A21 = BÍBLIA SAGRADA Almeida Século 21. São Paulo: Vida Nova, 2008.
ACF = BÍBLIA SAGRADA. Tradução de João Ferreira de Almeida. Corrigida, Fiel. São Paulo: Sociedade Bíblica Trinitariana, 1995.
AEC = BÍBLIA SAGRADA. Tradução de João Ferreira de Almeida. Edição Contemporânea. Deerfield: Vida, 1994.
APF = BÍBLIA SAGRADA. Tradução de Antônio Pereira de Figueiredo. Edição Ecumênica. Rio de Janeiro: Encyclopaedia Britannica Publishers, 1977.
ARA = BÍBLIA SAGRADA. Tradução de João Ferreira de Almeida. Revista e Atualizada no Brasil. 2a Edição. Barueri: SBB, 1993.
ARC = BÍBLIA SAGRADA. Tradução de João Ferreira de Almeida. Revista e Corrigida. Edição de 1995. Barueri: SBB, 1995.
AVR = O NOVO TESTAMENTO. Baseada na Tradução em Português de João Ferreira de Almeida. De acordo com os melhores textos. Rio de Janeiro: IBB, 1981.
BAM = BÍBLIA SAGRADA. Tradução dos originais mediante a versão dos Monges Maredsous (Bélgica) pelo Centro Bíblico de São Paulo. 18a Edição. São Paulo: Editora Ave Maria, 1971.
BI (1993) = A BÍBLIA PARA TODOS: Edição Interconfessional do hebraico, do aramaico e do grego em português corrente. Lisboa: Sociedade Bíblica de Portugal, 1993.
BI (2009) = A BÍBLIA PARA TODOS: Edição Interconfessional. Lisboa: Sociedade Bíblica de Portugal, 2009.
BJ = A BÍBLIA DE JERUSALÉM. Nova edição, revista. São Paulo: Paulinas [Paulus], 1985.
BLH = BÍBLIA SAGRADA. Tradução na linguagem de hoje. São Paulo: SBB, 1988.
BMS = O NOVO TESTAMENTO traduzido da Vulgata e anotado pelo Pe. Matos Soares. São Paulo: Edições Paulinas, 1957.
BP = A BÍBLIA: Novo Testamento. São Paulo: Paulinas, 2015.
BPer. = BÍBLIA DO PEREGRINO. Novo Testamento. 2a Edição. São Paulo: Paulus, 2000.
BSBBrt. = BÍBLIA SAGRADA. Tradução de João Ferreira de Almeida. Londres: Sociedade Bíblica Britânica, s.d.
BV = A BÍBLIA VIVA. Segunda edição. São Paulo: Mundo Cristão, 2002.
CNBB = BÍBLIA SAGRADA. Tradução da CNBB. 10a Edição. Brasília: Edições CNBB, 2010.
DutraDias = O NOVO TESTAMENTO. Tradução de Haroldo Dutra Dias. 1a Ed. 2a Imp. Brasília: FEB, 2013.
EP = BÍBLIA SAGRADA. Edição Pastoral. São Paulo: Paulus, 1990.
KJA = BÍBLIA SAGRADA. Tradução King James Atualizada. São Paulo: Abba Press, 2001.
L = O LIVRO. Biblica Inc., 2000.
Mensagem = A MENSAGEM: A Bíblia em Linguagem Contemporânea. São Paulo: Vida, 2011.
NBP = NOVA BÍBLIA PASTORAL . São Paulo: Paulus, 2014
NBV =NOVA BÍBLIA VIVA. São Paulo: Mundo Cristão, 2010.
NVI = BÍBLIA SAGRADA. Nova versão internacional. São Paulo: Vida, 2000.
NVT = BÍBLIA SAGRADA: Nova Versão Transformadora. 1a Edição. São Paulo: Mundo Cristão, 2016
NTJ = NOVO TESTAMENTO JUDAICO. São Paulo: Vida, 2007.
NTLH = BÍBLIA SAGRADA. Nova tradução na linguagem de hoje. Barueri: SBB, 2000.
NTT = NOVO TESTAMENTO. São Paulo: Herder, 1970.
TB = BÍBLIA SAGRADA. Tradução Brasileira. Barueri: SBB, 2010.
TEB = A BÍBLIA. Tradução Ecumênica. Nova Edição Revista e Corrigida. São Paulo: Loyola; São Paulo: Paulinas, 1995.
TNM (1967) = TRADUÇÃO NOVO MUNDO DAS ESCRITURAS SAGRADAS. Tradução da versão inglesa de 1961 mediante consulta constante ao antigo texto hebraico, aramaico e grego. Edição Brasileira. New York: Watchtower Bible and Tract Society of New York, 1967.
TNM (1983) = TRADUÇÃO NOVO MUNDO DAS ESCRITURAS SAGRADAS. Tradução da versão inglesa de 1961 mediante consulta constante ao antigo texto hebraico, aramaico e grego. Revisada em 1977, Nova Edição de 1983. Edição Brasileira. New York: Watchtower Bible and Tract Society of New York, 1983.
VFL = NOVO TESTAMENTO: versão fácil de ler. São Paulo: Vida Cristã, 1999.
WCL = O NOVO TESTAMENTO INTERLINEAR de Waldyr Carvalho Luz; o texto grego Nestle (26a Edição) com uma tradução literal em português. São Paulo: Cultura Cristã, 2003.

BANNER DE DIVULGAÇÃO: 








[1] NVT = BÍBLIA SAGRADA: Nova Versão Transformadora. 1a Edição. São Paulo: Mundo Cristão, 2016
[2] Disponível em http://www.biblestudytools.com/nlt/acts/2.html  Acessado em 10 de dezembro de 2016.
[3] ARA = BÍBLIA SAGRADA. Tradução de João Ferreira de Almeida. Revista e Atualizada no Brasil. 2a Edição. Barueri: SBB, 1993.
[4] ARC = BÍBLIA SAGRADA. Tradução de João Ferreira de Almeida. Revista e Corrigida. Edição de 1995. Barueri: SBB, 1995.
[5] AEC = BÍBLIA SAGRADA. Tradução de João Ferreira de Almeida. Edição Contemporânea. Deerfield: Vida, 1994.
[6] AVR = O NOVO TESTAMENTO. Baseada na Tradução em Português de João Ferreira de Almeida. De acordo com os melhores textos. Rio de Janeiro: IBB, 1981.
[7] TB = BÍBLIA SAGRADA. Tradução Brasileira. Barueri: SBB, 2010.
[8] BLH = BÍBLIA SAGRADA. Tradução na linguagem de hoje. São Paulo: SBB, 1988.
[9] NTLH = BÍBLIA SAGRADA. Nova tradução na linguagem de hoje. Barueri: SBB, 2000.
[10] NVI = BÍBLIA SAGRADA. Nova versão internacional. São Paulo: Vida, 2000.
[11] KJA = BÍBLIA SAGRADA. Tradução King James Atualizada. São Paulo: Abba Press, 2001.
[12] A21 = BÍBLIA SAGRADA Almeida Século 21. São Paulo: Vida Nova, 2008.
[13] CNBB = BÍBLIA SAGRADA. Tradução da CNBB. 10a Edição. Brasília: Edições CNBB, 2010.
[14] BAM = BÍBLIA SAGRADA. Tradução dos originais mediante a versão dos Monges Maredsous (Bélgica) pelo Centro Bíblico de São Paulo. 18a Edição. São Paulo: Editora Ave Maria, 1971.
[15] EP = BÍBLIA SAGRADA. Edição Pastoral. São Paulo: Paulus, 1990.
[16] NBP = NOVA BÍBLIA PASTORAL . São Paulo: Paulus, 2014.
[17] TEB = A BÍBLIA. Tradução Ecumênica. Nova Edição Revista e Corrigida. São Paulo: Loyola; São Paulo: Paulinas, 1995.
[18] BJ = A BÍBLIA DE JERUSALÉM. Nova edição, revista. São Paulo: Paulinas [Paulus], 1985.
[19] BP = A BÍBLIA: Novo Testamento. São Paulo: Paulinas, 2015.
[20] BPer. = BÍBLIA DO PEREGRINO. Novo Testamento. 2a Edição. São Paulo: Paulus, 2000.
[21]VFL = NOVO TESTAMENTO: versão fácil de ler. São Paulo: Vida Cristã, 1999.
[22] BV = A BÍBLIA VIVA. Segunda edição. São Paulo: Mundo Cristão, 2002.
[23] NBV =NOVA BÍBLIA VIVA. São Paulo: Mundo Cristão, 2010.
[24] NTJ = NOVO TESTAMENTO JUDAICO. São Paulo: Vida, 2007.
[25] Mensagem = A MENSAGEM: A Bíblia em Linguagem Contemporânea. São Paulo: Vida, 2011.
[26] DutraDias = O NOVO TESTAMENTO. Tradução de Haroldo Dutra Dias. 1a Ed. 2a Imp. Brasília: FEB, 2013.
[27] BI (2009) = A BÍBLIA PARA TODOS: Edição Interconfessional. Lisboa: Sociedade Bíblica de Portugal, 2009.
[28] BI (1993) = A BÍBLIA PARA TODOS: Edição Interconfessional do hebraico, do aramaico e do grego em português corrente. Lisboa: Sociedade Bíblica de Portugal, 1993.
[29] TNM (1967) = TRADUÇÃO NOVO MUNDO DAS ESCRITURAS SAGRADAS. Tradução da versão inglesa de 1961 mediante consulta constante ao antigo texto hebraico, aramaico e grego. Edição Brasileira. New York: Watchtower Bible and Tract Society of New York, 1967.
[30] TNM (1983) = TRADUÇÃO NOVO MUNDO DAS ESCRITURAS SAGRADAS. Tradução da versão inglesa de 1961 mediante consulta constante ao antigo texto hebraico, aramaico e grego. Revisada em 1977, Nova Edição de 1983. Edição Brasileira. New York: Watchtower Bible and Tract Society of New York, 1983.
[31] BMS = O NOVO TESTAMENTO traduzido da Vulgata e anotado pelo Pe. Matos Soares. São Paulo: Edições Paulinas, 1957.
[32] APF = BÍBLIA SAGRADA. Tradução de Antônio Pereira de Figueiredo. Edição Ecumênica. Rio de Janeiro: Encyclopaedia Britannica Publishers, 1977.
[33] NTT = NOVO TESTAMENTO. São Paulo: Herder, 1970.
[34] WCL = O NOVO TESTAMENTO INTERLINEAR de Waldyr Carvalho Luz; o texto grego Nestle (26a Edição) com uma tradução literal em português. São Paulo: Cultura Cristã, 2003.
[35] ACF = BÍBLIA SAGRADA. Tradução de João Ferreira de Almeida. Corrigida, Fiel. São Paulo: Sociedade Bíblica Trinitariana, 1995.
[36] L = O LIVRO. Biblica Inc., 2000. Disponível em  https://www.biblegateway.com/passage/?search=Atos+2&version=OL Acessado em 30/dez/2016.
[37] BSBBrt. = BÍBLIA SAGRADA. Tradução de João Ferreira de Almeida. Londres: Sociedade Bíblica Britânica. Disponível em http://biblia.gospelprime.com.br/tb/atos/2/ Acessada em 30/dez/2016.
[39] Minha esposa, Linda S. T. C Pestana, conhece o idioma indonésio, logo, dependi dela ao verificar esta nesta citação.
[40] “… the abuses of chiasmus are frequent.” (LUND, 1992, p. xxi).
[41] O texto grego da Septuginta vem de https://www.academic-bible.com/en/online-bibles/septuagint-lxx/read-the-bible-text/ Acessado em 20.dez.2016. As traduções portuguesas são minhas.
[42] O texto grego da literatura cristã primitiva citada vem de https://www.ccel.org/l/lake/fathers/toc.htm.  Acessado em 20.dez.2016. As traduções portuguesas são minhas.
[43] Diagrama de Rodney J. Decker, disponível em http://ntresources.com/blog/documents/acts2_38.pdf Acessado em 21.dez.2016.
[44] Citado por Epifanio, Panarion haer. 30,13,6; 30,14,3. Texto em ALAND, 1988, p. 22.
[45] Irineu, Dialogo 88.7. Texto em ALAND, 1988, p. 22.